segunda-feira, 29 de junho de 2009

Literatura: Além do bem e do mal

Emocionar-se, cair na risada, ter muito, muito medo, pensar a respeito de uma atitude do personagem diante da dificuldade, colocar-se no lugar do mocinho e – por que não? – entender como o vilão agiu daquela maneira na história. Identificar-se. Tem coisa mais gostosa do que assistir à mágica do que é um bom livro tomando conta da emoção de seu filho? Pois há certas armadilhas espalhadas pelas livrarias – e, mais grave ainda, pelas salas de aula de uma porção de escolas.

Em nome de trazer certos ensinamentos, há uma significativa oferta de livros feitos para crianças que mais parecem ter sido escritos por encomenda do que por prazer de algum escritor ou ilustrador. Secos, previsíveis, com respostas prontas, interpretações únicas e superficiais, estes livros apenas “ensinam” sem deixar espaço para questionamentos e conflitos, muito menos para a fantasia. E traz outra consequência para a criança: pouco interessantes, tendem a afastar o gosto pela leitura.

Certamente você já deu de cara com algum livro assim (e, apostamos, pensou: “Ai, mas que livro mais chato!”). Pois estes são o que podemos chamar de “livros politicamente corretos”.

De boa intenção...
Pode não estar claro na capa nem na sinopse, mas a intenção deste tipo de livro é como alterar as cantigas de roda (aquela história do cravo não mais brigar com a rosa e de nunca mais atirar o pau no gato, sabe?): evitar o sofrimento e o contato da criança com qualquer coisa, digamos, negativa. Sob o pretexto de proteger e resguardar as crianças, estão fora do texto medos, dores, violência e sentimentos sombrios.

O problema não é passar valores (as fábulas com suas “verdades” a transmistir permitem, sim, questionamentos), mas ocultar aspectos mais ásperos dos personagens e das narrativas. É o Lobo Mau que fica fora do caminho da Chapeuzinho Vermelho, o Saci sem cachimbo e uma madrasta que só falta dar a mão para Cinderela e sair com ela para passear no bosque.

O escritor Ilan Brenman está neste assunto há muito tempo. Acostumado a frequentar escolas, ele já chegou a ser proibido de contar uma determinada história. O porquê está na ponta da língua: prega-se que, afastando as crianças de referências negativas e inserindo-as numa cultura pacífica, elas ficariam também tranquilas e controláveis.

Mas não é bem isso o que acontece. “Ninguém fica bonzinho lendo um livro bonzinho. Pelo contrário. O protecionismo exagerado pode ser uma ameaça. As crianças gostam de encontrar aventuras, perigos, expectativas, personagens conflituosos que sentem euforia, raiva, alívio, medo, alegria, inveja e outros sentimentos inerentes ao ser humano, coisas que se comunicam com o universo interior delas”, diz, Brenman, autor da tese de doutorado A Condenação de Emília: Uma Reflexão sobre a Produção de Livros Politicamente Corretos Destinados às Crianças.

Por meio das situações de conflito de uma história, a criança se projeta em personagens bons ou cruéis e vivencia um caminho seguro para ela elaborar a violência que de fato existe dentro dela (e em todos nós!). “Tirar da criança essa válvula de escape que é a boa literatura, pode torná-la mais nervosa, mais confusa, mais agressiva e distante do entendimento de seus próprios sentimentos”, afirma.

É uma questão de medida, claro. Ilan faz até uma comparação estranha, mas que vale a pena saber. Para ele, este tipo de literatura é como o fast-food. Se a função da boa literatura é instalar na criança perguntas para ela pensar, a politicamente correta a afasta disso, uma vez que a ideia é antecipar e evitar qualquer desconforto. “Assim como o fast-food em uma dieta completa, esses livros não vão destruir o organismo da criança se forem consumidos uma vez ou outra. No entanto, se forem o único alimento literário delas, a criança terá as veias da imaginação entupidas. Pensará que a vida é só aquilo e ficará desnutrida em suas emoções e sentimentos.”

As crianças precisam – e merecem – mais
Que tipo de sociedade será a que não for habituada a desenvolver seus sentimentos? O escritor e crítico literário Celso Sisto prevê um futuro sombrio para nós, caso não atentarmos para o que as crianças estão lendo. “Distanciar as crianças de problemas e arquétipos tão humanos e tão reais pode gerar seres intolerantes, arrogantes, incapazes de lidar com as diferenças e com o outro. Despreparados para reconhecer a diversidade, tomam-se como modelos únicos e tudo o que destoa disso pode ameaçá-los e precisa ser eliminado”, diz o especialista. Diga a verdade: isso dá mais medo que Lobo Mau, piratas ou a bruxa mais malvada dos contos de fadas.

* texto de cristiane rogerio e marina vidigal, publicado originalmente no site da revista crescer

Destaques da semana (de 29.06 a 6.07)

(legenda: Wallace & Gromit - A Batalha dos Vegetais)

Estação Saúde (dia 29, segunda a sexta, 18h, Canal Futura, estreia) - novo programa sobre saúde, gravado em cinco estados diferentes, tem como objetivo contribuir para que os telespectadores tenham uma vida mais saudável.

A Gata e o Rato (dia 29, segundas, quartas e sextas, 20h30, TCM, estreia) - uma das séries mais cultuadas da TV da década de 80 está de volta à telinha. Na trama, a ex-modelo Madelyn 'Maddie' Hayes (Cybill Shepherd) e o detetive David Addison Jr. (Bruce Willis) acabam como sócios de uma agência de investigação, resolvendo casos que mesclam comédia e romance de maneira muito sutil. A impressionante química entre os dois sempre deixava uma pergunta inevitável no ar: afinal, Maddie e David vão ficar juntos ou não?

Lost (dia 29, segunda, 21h, AXN) - canal exibe final quinta da temporada da série com episódio especial de duas horas de duração. Momentos decisivos em que Jack decide colocar em ação seu plano para tentar acertar as coisas na ilha, mesmo com a resistência de algumas pessoas próximas a ele. Enquanto isso, Locke designa Ben para uma difícil missão.

José: O Rei dos sonhos (dia 01, quarta, 13h15, Telecine Pipoca) - a história de José, segundo a Bíblia, é contada neste filme. A produção mostra desde seu milagroso nascimento, passando por sua vida difícil, pela inveja dos seus irmãos até sua relação direta com o poderoso Faraó.

A Hora do Arrepio (dia 01, quarta, 14h40, Telecine Pipoca) - Cassie é uma menina de 13 anos que tem dificuldades para se enturmar na vizinhança e na nova escola. Por diversão, ela vive pregando peças nas pessoas e, no Halloween, acaba comprando um livro em uma misteriosa loja. Quando termina de ler, uma aventura fantasmagórica se inicia na vida da jovem.

Perder para Ganhar (dia 01, quarta, 21h, People+Arts, estreia) - Caroline Rhea está de volta na terceira temporada do programa. Novas surpresas aguardam os competidores, incluindo a nova treinadora da Equipe Vermelha: Kim Lyons. Dos 50 competidores, apenas 14 terão a chance de disputar o prêmio de 250 mil dólares.

Mal Posso Esperar (dia 01, quarta, 21h, Universal) - durante uma cerimônia de formatura do colegial, Preston Meyers (Ethan Embry) descobre que Amanda Beckett (Jennifer Love Hewitt), a garota mais popular do colégio, foi abandonada por seu namorado Mike Dexter (Peter Fancinelli), que acredita que encontrará mulheres maduras e independentes na faculdade. Preston se vê diante da grande oportunidade de se declarar à Amanda na festa de formatura. Porém, o que para ele parece ser uma ocasião mágica, para muitos a noite é o momento de curtição e toda essa agitação leva Preston a encarar as mais diversas trapalhadas.

Caçadores de Óvins (dia 01, quarta, 22h, The History Channel, estreia) - canal apresenta novos episódios da série. Primeiro Contato revisita 19 de abril de 1897, quando o jornal Dallas Morning News informou que uma misteriosa nave caiu em um moinho de vento, na aldeia de Aurora, no Texas. Os aldeões disseram ter encontrado um corpo alienígena e tê-lo enterrado no cemitério local. Depois de 40 anos, os donos de um rancho apresentaram lesões e artrite que atribuíram à água do local. Agora, mais de um século após o fato, a equipe de Caçadores de Óvnis vai à procura da lendária tumba, na tentativa de desvendar um dos primeiros casos de óvnis já relatados.

Bibi, A Bruxinha 2 (dia 02, quinta, 13h05, Telecine Pipoca) - a bruxinha Bibi está com notas baixas no colégio e, por isso, é mandada para uma escola especial nas suas férias de verão. No começo ela tem dificuldade para se habituar, mas logo faz uma amizade especial. Para ajudar a nova amiga, Bibi se envolve em uma aventura muito misteriosa.

Os Seis Signos da Luz (dia 02, quinta, 15h05, Telecine Pipoca) - Will descobre ser o último herdeiro de uma linhagem de guerreiros que dedicam suas vidas a lutar contra as forças do mal. Quando percebe que forças obscuras estão crescendo, ele se dá conta que precisa salvar o mundo desses poderes malignos (leia mais aqui).

Scalp (dia 02, quinta, 21h, Eurochannel) - canal apresenta o último episódio da série francesa, que traça um perfil assustador do mundo das bolsas de valores na década de 1990.

As Origens da Vida (dia 02, quinta, 21h, The History Channel, especial inédito) - bilhões de anos antes que o homem aparecesse sobre a Terra, e inclusive antes mesmo que os dinossauros existissem, já havia muita vida em nosso planeta. Organismos unicelulares fizeram de nossos oceanos um caldo de cultura para a vida, e assim criaturas vivas foram surgindo. Saiba como tudo começou.

Diário dos Orangotangos (dia 02, quinta, 21h, Animal Planet, inédito) - neste episódio, Michaela e Steve ajudam o staff a devolver à selva 25 macacos, tendo barcos, aviões e helicópteros à disposição para a complexa tarefa. Enquanto isso, os mais novos são tratados contra um surto de malária na clínica e Bento se recusa a voltar ao centro de tratamento depois de escapar da ilha.

Atração pela Morte (dia 02, quinta, 22h, GNT, estreia) - Frances Sweete é uma mulher atraente com propensão para assassinar seus maridos, sempre homens ricos e solitários. Para conquistar seus objetivos ela assume diferentes identidades. Mas, subitamente, após o casamento, seus maridos sofrem acidentes misteriosos e ela se torna a única herdeira. Sua próxima vítima é Nicholas Landon, um viúvo em campanha para se eleger ao Congresso. Após o caamento, o plano de Frances começa a dar errado, quando a assistente de seu marido começa a desconfiar de suas verdadeiras intenções.

Um Toque de Celebridade (dia 02, quinta, 23h, Discovery Home & Health) - a série mostra que com criatividade e um pouco de esforço é possível ter uma vida inspirada no luxo, mas com preços bem razoáveis. Depois de uma visita à casa de um personagem famoso, é hora de adequar o estilo luxuoso à realidade do participante do programa. O apresentador Peter Marr une esforços com o proprietário da casa, um designer de interiores e um comprador profissional para recriar o ambiente de luxo com uma verba de 3 mil dólares por dia.

Head Case (dia 02, quinta, 23h30, GNT, estreia) - a série retorna à grade canal em sua segunda temporada. A atriz Alexandra Wentworth é a dra. Elizabeth Goode, uma terapeuta nada convencional que atende celebridades em Hollywood. O seu método de trabalho é pouco ortodoxo, mas a diversão é garantida.

Wallace & Gromit: A Batalha dos Vegetais (dia 03, sexta, 12h50, Telecine Pipoca) - o concurso anual de legumes gigantes se aproxima e o bairro onde mora o pacato inventor Wallace e seu fiel cão Gromit está em polvorosa. Tudo corre bem até que uma misteriosa fera vegetariana começa a destruir as plantações à noite. A dupla terá que capturá-la para salvar o concurso e sua reputação.

BoomBox in Concert Apresenta Avril Lavigne (dia 03, sexta, 17h, Boomerang, estreia) - programa acompanha o show e os bastidores da turnê The Best Damn Tour – Live in Toronto.

Da Vinci na Prática (dia 03, sexta, 20h, Discovery, estreia) - equipe de engenheiros, construtores e historiadores do século 21 entram em uma das mentes mais brilhantes da história – Leonardo Da Vinci. Com seis episódios, a série reproduz as armas militares desenvolvidas por Da Vinci para ver se funcionarão da forma prevista pelo artista, utilizando os mesmos materiais disponíveis na época.

Reaper: Um Trabalho Infernal (dia 03, sexta, 21h, Universal, estreia) - a série estreia nova temporada trazendo a participação especial de Sean Patrick Thomas (de No Balanço do Amor) e Eriko Tamura (de Heroes). No episódio Uma Nova Esperança, Sam (Bret Harrison) retorna da viagem que fez com Sock (Tyler Labine) e Ben (Rick Gonzalez) e tenta se reconciliar com Andi (Missy Peregrym). Eles também descobrem que foram demitidos do Work Bench e despejados de seu apartamento. Sem terem para onde ir, eles vão até a casa de Sock, que acaba encontrando Kristen (Eriko Tamura), uma menina diferente morando em sua casa e mais tarde descobre que ela é sua nova irmã. Enquanto isso, Andi ainda não quer conversar com Sam, e o Diabo volta com novas missões ainda mais difíceis.

Maratona Pequenos Assassinatos em Família (dia 03, sexta, 22h, Eurochannel, estreia) - minissérie inspirada em conto de Agatha Christie traz uma trama sombria e cheia de mistérios, bem ao estilo de Agatha. Na história, situada no ano de 1939, um rico e cruel homem de negócios é assassinato durante a comemoração de seu 70º aniversário.

Superbonita (dia 03, sexta, 22h, GNT) - elas trocam a noite pelo dia, carregam peso e tem que estar sempre lindas na hora de animar as festas mais badaladas do mundo. Em comemoração ao mês da música, as DJs ganham um “Superbonita” inteiramente dedicado a elas. Como essas mulheres aguentam o ritmo sem descuidar da beleza? O programa conversa com a DJ Dri K e mostra o estilo das DJs Paula Pedroza e Kyra, sucesso nas pistas internacionais.

Disney XD (dia 04, sábado) - a partir do dia 04, o Jetix muda definitivamente para Disney XD e promete séries agitadas. Na lista, Aaron Stone, a história de um garoto que é bom num jogo que na verdade é treinamento para agentes, Liga dos Supermalvados (17h30), Em Busca de Gawayn (11h) e Kid vs. Kat (11h).

O Pequeno Reino de Ben e Holly (dia 04, sábado, 7h30, Nickelodeon, estreia) - a animação destinada ao público pré-escolar leva os telespectadores a uma terra encantada dos duendes, fadas e pequenos insetos.

As Meninas Superpoderosas: Geração Z (dia 04, sábado, 11h, Boomerang, estreia) - canal traz novos episódios do anime protagonizado pelas agora adolescentes Florzinha, Lindinha e Docinho combatendo o mal e fazendo de tudo para deixar as ruas de Tóquio livres de vilões como Macaco Loco, Fuzzy Confusão e os Garotos Ameba (leia mais aqui).

Os Assistentes (dia 04, sábado, 21h, Boomerang, estreia) - nos novos episódios, a ilusão de conseguir o emprego dos sonhos ainda não está desfeita, e os quatro jovens assistentes continuam tentando de tudo para deixar contente o cada vez mais excêntrico chefe, o produtor de cinema Zach, interpretado por Zak Santiago (da série Kingdom Hospital). Melhor para os fãs da série, que vão poder rolar de rir com as esdrúxulas exigências do patrão.

Sangue Negro (dia 04, sábado, 21h, HBO) - Daniel Day-Lewis interpreta Daniel Plainview, um mineiro que descobre petróleo e passa a procurar terrenos para montar poços. O filme é inspirado pelo livro Oil!, escrito em 1927 por Upton Sinclair mostra a corrida por poços que aconteceu no sul da Califórnia.

Taken (dia 04, sábado, 21h, Hallmark) - produzida por Steven Spielberg e narrada pela personagem Allie, uma garota de 10 anos que herdou os poderes de seus antepassados alienígenas - algo que determinará o destino da raça humana - Taken começa nos anos 40 e vem até o presente mostrando a história de três famílias unidas por abduções extraterrestres.

Ressaca de Amor (dia 04, sábado, 22h, Telecine Premium) - o esforçado músico Peter Bretter (Jason Segel) não consegue esquecer sua namorada, Sarah Marshall (Kristen Bell), estrela da TV que ele namorou por seis anos e que lhe deu um pé na bunda. Peter tenta cair na farra e vencer profissionalmente, mas percebe que sem Sarah sua vida pode ter chegado ao fim.

Eastwood por Eastwood (dia 04, sábado, 22h, TCM) - o documentário faz parte do especial do canal que exibe 13 filmes do homem que começou interpretando tipos durões e revelou sua sensibilidade em filmes como As Pontes de Madison e Bird.

Naruto (dia 05, domingo, das 11h às 21h, Cartoon, estreia) - canal apresenta maratona do cultuado anime, exibindo os episódios de 1 a 52. Na sequência, às 22h, entra em cena o trio Naruto, Sasuke e Sakura encara uma missão cabeluda (e sem a ajuda do mestre Kakashi) no longa-metragem Missão: Proteger a Aldeia Oculta da Cachoeira! Tudo para preparar os telespectadores para a aguardada nova temporada, que estreia no dia 06, segunda, 17h30 (leia mais aqui).

Jack e o Show de Música (dia 05, domingo, 8h, Discovery Kids) - no episódio desta semana, Laurie liga para dizer que adoraria fazer uma visita e cantar uma canção especial para a turma. Mas Jack, Mary e Mel precisarão encontrar algumas coisas para sua performance - uma ovelha, um pássaro e um elefante. Onde eles encontrarão esses bichos?

Miss Mundo Brasil 2009 (dia 05, domingo, 19h, CNT) - o Miss Mundo Brasil é o concurso de Miss oficial para o Miss Mundo, atualmente o principal evento de beleza do planeta, com 110 países participantes. Conheça a beldade que irá representar o Brasil.

30 Dias (dia 05, domingo, 19h, FX, estreia) - nova temporada da série produzida e apresentada por Morgan Spurlock, que ficou famoso por seu documentário Super Size Me. Na trama, Morgan e outros convidados se submetem a viver situações totalmente contrárias ao seu estilo de vida durante 30 dias, período em que eles têm de mudar seus hábitos, maneiras e costumes, garantindo assim uma visão mais nítida de como é viver de outra maneira. Entre as propostas estão ficar 30 dias em uma cadeira de rodas e passar 30 dias com uma família formada por pais do mesmo sexo, entre outras.

Bob Esponja (de 6 a 15, 18h, Nickelodeon, estreia) - o canal 10 episódios inéditos do aniversariante do ano. A cada dia, o canal mostra uma nova aventura do calça quadrada e seus amigos da Fenda do Bikini.

(shirley paradizo)

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Oscar com mudanças em 2010

Os organizadores do Oscar, o prêmio maior da Academia de Ciências e Artes Cinematográficas dos Estados Unidos, informaram por esses dias que o número de indicados na categoria Melhor Filme vai dobrar de cinco para dez na edição de 2010. O presidente da Academia, Sid Ganis, anunciou a decisão em uma entrevista coletiva para a imprensa. "Depois de mais de seis décadas, a Academia vai retomar algumas de suas raízes, quando o quadro de indicados para o prêmio principal era maior", explicou. "No final das contas, é claro, o resultado será o mesmo... um vencedor como Melhor Filme... mas a disputa até a reta final será com dez, não apenas cinco filmes a partir de 2010."

Por cerca de uma década, durante os primeiros anos da Academia (1930-1940), a categoria de Melhor Filme era disputada por mais de cinco títulos e, durante nove anos, foram dez os indicados. A 16ª edição do Oscar em 1943 foi o último ano a incluir dez indicados e a estatueta na ocasião foi dado ao clássico Casablanca.


(shirley paradizo*)

* com fonte da folha online

Estreia: Capitão Planeta

Sucesso do Programa da Xuxa nos anos 90, da Rede Globo, o desenho Capitão Planeta está de volta à televisão. Só que agora em novo endereço. A animação, desde o dia 22, segunda, está sendo exibida no Canal Futura. Os direitos de exibição do desenho foram cedidos pela Turner, parceira do Futura. Bordões como "Fogo! Terra! Água! Ar! Coração!..." e "Pela união dos seus poderes, eu sou Capitão Planeta!" eram populares entre as crianças da época. Criado no começo dos anos 90, o animado leva a assinatura de Ted Turner (criador das redes CNN e TNT) e tem como missão alertar e introduzir os telespectadores em questões ambientais e ecológicas.

A trama começa quando Gaia, o espírito da Terra, acorda de um sono de 100 anos e se depara com a destruição do planeta. Temendo pelo seu futuro, ela entrega anéis mágicos a cinco jovens de várias partes do mundo e forma uma equipe que tentará evitar que a situação piore ainda mais. Ao colocar os anéis em seus dedos, os jovens são transportados para a casa de Gaia, que lhes ensina a controlar seus novos poderes e a convocar o herói Capitão Planeta, que os ajuda em suas missões.

Exibição: segunda a sexta, 18h30, Canal Futura

(shirley paradizo)

Um robô herói

A Warner Bros. divulgou novas imagens e pôster da animação Astro Boy. Desta vez, um cartaz bem colorido voltado para o mercado chinês. Ambientado na cidade furística Metro City, a trama acompanha as aventuras e desventuras de um jovem robô com poderes incrívies. Astro Boy foi criado por cientista com a finalidade de substituir seu filho que morreu.

Apesar das inúmeras tentativas, ele não consegue atender às expectativas do pai e embarca em uma jornada em busca de aceitação, deparando em um submundo povoado por robôs gladiadores.

O personagem foi inspirado em mangá criado pelo mestre Osamu Tezuka, no início dos anos 50. O herói também protagonizou um animê para a TV e acabou se tornando o propulsor da maior indústria de animação do mundo, conquistando também o público norte-americano.

A versão para os cinemas conta com vozes de Kristen Bell (da série Heroes), Nicolas Cage (de Motoqueiro Fantasma), Donald Sutherland (de Pergunte ao Pó), Freddie Highmore (de A Fantástica Fábrica de Chocolate), Scarlett Johansson (de Vicky Cristina Barcelona), Bill Nighy (de Operação Walquíria), Nathan Lane (de Os Produtores) e Eugene Levy (de American Pie).

Astro Boy tem estreia prevista para 25 de dezembro no Brasil. Confira as imagens abaixo.

(shirley paradizo)

quarta-feira, 24 de junho de 2009

De volta ao país das maravilhas

O site USA Today revelou algumas imagens do novo trabalho da parceria entre o diretor Tim Burton e o ator Johnny Depp (de A Fantástica Fábrica de Chocolate) . O sexto filme da dupla traz de volta aos cinemas o clássico Alice no País das Maravilhas. Nas imagens, pode-se ver Anne Hathaway como Rainha Branca e Johnny Depp na pele do Chapeleiro Maluco. Elas ainda mostram Helena Bonham Carter como a Rainha Vermelha e Mia Wasikowska como a protagonista Alice, além de algumas belíssimas cenas.

O filme, que vai misturar animação e atores, não se trata de uma nova versão do conto de Lewis Carroll, mas de "sequência" da história original. Alice, aos seus 17, é convidada para uma festa da sociedade vitoriana, onde descobre que está prestes a ter sua mão pedida em casamento na frente de centenas de membros da aristocracia.

Contrariada com a situação que lhe foi imposta, ela decide fugir. Durante a escapada, a moça segue o coelho branco até sua toca e acaba caindo no País das Maravilhas, um lugar mágico que ela visitou há 10 anos e do qual não se lembra.

A nova versão de Alice no País das Maravilhas tem estreia prevista para março de 2010 nos cinemas americanos.


(shirley paradizo)

Cinema: Transformers - A Vingança dos Derrotados

Boa notícia tanto para os fãs de Transformers como para quem não tem o menor interesse pela franquia, mas já ouviu falar sobre os carros que se transformam em robôs. Transformers: A Vingança dos Derrotados é mais filme que o primeiro. Especialmente em relação à história e aos desdobramentos da nova batalha entre os Autobots e os Decepticons.

Sam (Shia LaBeouf) cresceu e chegou a aguardada hora de entrar na universidade. Um mundo de descobertas se desenha à sua frente. Enquanto isso, a ameaça dos alienígenas malignos, cujo líder Megatron havia sido congelado no primeiro filme, torna-se realidade. Sam vai ter de lutar, mesmo que ache que essa guerra não seja sua.

Assim como no primeiro filme, duas histórias acontecem paralelamente: o garoto tenta levar uma vida normal com Bumblebee, seu carinhoso carro-robô na garagem, e os militares norte-americanos sofrem para conter a ameaça dos Decepticons. Repetindo a fórmula da produção de 2007, esses dois universos se entrelaçam e a ação corre solta.

O recheio da história, a volta dos Decepticons, a impotência e a ignorância do governo, como o conhecimento de Sam torna-se peça chave na batalha, além da inclusão de novos personagens e inimigos fazem de Transformers: A Vingança dos Derrotados um filme mais interessante que o original. Agora, recado para os fãs dos robôs-carros: há um mundarel de novos personagens. Além dos carros, há também motos e animais que, ao menor sinal, estão prontos para ameaçar o garoto e sua namorada Mikaela (Megan Fox).

A produção continua bem cuidada e as coreografias das lutas são mais plásticas. Há ainda mais rigor tecnológico na transformação dos carros. Bumblebee continua criativo e falando por meio de músicas. O humor, que no primeiro filme se concentrava no jeito outsider de Sam, alcança também sua mãe, que protagoniza momentos hilários, mesmo que caricatos - exagero que marca o restante dos personagens.

Duas outras coisas chamam a atenção. A primeira é a exploração do corpo feminino. Se você já achou que a personagem de Megan Fox já fazia o perfil hot, aguarde para ver Alice (Isabel Lucas). No filme, o uso de suas curvas são dignas de potrancas do funk. A segunda é o desaparecimento de alguns personagens. Ao longo da trama, você perceberá alguns bugs, robôs que somem repentinamente e outros que surgem de surpresa. Sem explicações, eles são apenas limados ou inseridos abruptamente na trama.

Transformers: A Vingaça dos Derrotados é mais filme que o primeiro, tanto para os fãs da franquia (que ficarão felizes com o final repleto de ganchos para um terceiro filme) como para os pais que têm de levar os filhos ao cinema para acompanhar os 147 minutos de ação, explosões, parafernálias tecnológicas e a eterna relação do ser humano com o desconhecido.

Em cartaz: dia 24, quarta, nos cinemas nacionais

Classificação: 12 anos

* texto de heitor augusto, publicado originalmente no site do cineclick

terça-feira, 23 de junho de 2009

Estreia cancelada

Depois do resultado mediano nas bilheterias dos Estados Unidos, onde ainda não conseguiu chegar aos 40 milhões de dólares (pouco perto dos 100 milhões que custou), A Terra Perdida (Land of The Lost) começou a perder força também mundo afora. Como consequência, os fãs brasileiros não vão conseguir vê-lo na telona ainda dessa vez. Programado para estrear no país em 28 de agosto, a versão para as telonas da cultuada série televisiva dos anos 1970 O Elo Perdido, só vai ser lançado em DVD e a previsão nada animadora: só lá para o fim de dezembro, de acordo com informações do site Omelete.

A história acompanha um fracassado cientista (Will Ferrell, de Quase Irmãos), desacreditado publicamente, que embarca em uma expedição a uma terra perdida - onde vivem monstros e estranhas civilizações - que prova todas as suas insanas teorias. Exibida entre 1974 e 1977 na terrinha do Tio Sam, a série marcou época por colocar uma tradicional família americana na pré-história. O diretor da adaptação é Brad Silberling (de Desventuras em Série).

(shirley paradizo)

Hobbits de volta ao cinema

A produção de O Hobbit está a todo vapor. Por esses dias, o diretor Guilherme Del Toro confirmou em entrevista à BBC o retorno de astros da trilogia O Senhor dos Anéis. "Andy Serkis, Ian McKellen e Hugo Weaving estão de volta aos seus papéis", contou. Eles viveram, respectivamente, Sméagol, Gandalf e Elrond. "Mostraremos um capítulo novo... Na mitologia, Gandalf se atrasa com uma crise, um encontro com um personagem sombrio chamado Necromancer, e depois descobrimos ser Sauron", disse.

Os quatro hobbits da saga cinematográfica inspirada na obra de J.R.R. Tolkien também devem aparecer em O Hobbit. "Eles realmente nos querem de volta. Claro que Ian McKellen e Andy Serkis estarão lá. Nossos personagens não estão no livro, mas eu acho que a idéia é possivelmente trazer de volta alguns daqueles personagens que todos conhecem e amam", contou Dominic Monaghan. Segundo o Empire Online, o roteiro deverá ser reescrito para incluir Merry (Dominic Monaghan), Pippin (Billy Boyd), Frodo (Elijah Wood) e Sam (Sean Astin).

Primeiro livro ambientado na Terra-Média, O Hobbit conta os eventos que precedem o achado do Anel por Bilbo Bolseiro e se passa antes do nascimento dos quatro de Frodo e companhia. Nele, Bilbo parte em uma aventura com um grupo de anões e o mago Gandalf e acaba encontrando a jóia do mal na caverna de Gollum. O ator escocês James McAvoy (de Crônicas de Nárnia) pode interpretar o hobbit Bilbo Bolseiro, que, na trilogia O Senhor dos Anéis, foi vivido por Ian Holm.

As filmagens irão começar em breve e os dois filmes serão gravados simultaneamente. O Hobbit 1 tem previsão de estreia para 2010 e o segundo para 2011. O orçamento previsto de está em torno de US$ 150 milhões.

(shirley paradizo)

Roedores em combate

O animado protagonizado pelos roedores da Disney ganharam recentemente seu pôster nacional. A arte de Força-G (G-Force) é praticamente a mesma da versão americana, trazendo os bichinhos juntos. Produzido Jerry Bruckheimer e com direção de Hoyt Yeatman, o desenho é uma aventura que mescla ação real e animação em CGI, sobre um programa governamental secreto que treina animais para tarefas de espionagem.

Esses bichos, cobaias armadas com tecnologia de ponta, descobrem que um vilão multimilionário ("ao estilo de Bill Gates", brincou Hoyt Yeatman) quer conquistar o mundo. A ideia para a história surgiu por causa de um comentário do filho de Yeatman, que, com 5 anos, disse ao pai que adoraria ver ratos formando uma força especial de combate.

As vozes dos protagonistas são de Sam Rockwell (Darwin, o líder do grupo), Tracy Morgan (Blaster, um especialista em armas), Penélope Cruz (Juárez, uma profissional sexy das artes marciais) e Nicolas Cage (Speckles, o especialista informático). O filme traz ainda a participaçao de Bill Nighy, que será um industrialista e Will Arnett, um agente do FBI. Zach Galifianakis, Kelli Garner, Gabriel Casseus e Jack Conley, fazem também parte do elenco que fará parte das cenas live actions.

Embora a ideia original fosse rodar o filme em duas dimensões, Bruckheimer sugeriu lançar a animação em 3D. "Em menos de três anos todo o mundo terá 3D em casa, podem apostar nisso", comentou Rob Engle, supervisor dos efeitos digitais do filme. G-Force está previsto para estrear nos cinemas nacionais no dia 14 de agosto.


(shirley paradizo)

Estante: The Sky Crawlers - Eternamente

O anime do diretor Mamoru Oshii (de Ghost in The Shell) é uma adaptação da light novel de mesmo nome e nos leva a um mundo alternativo onde as guerras verdadeiras já não existem. Para supri-las, a humanidade criou os chamados “Kildren”, crianças que não envelhecem e que são usadas para protagonizar cruéis batalhas aéreas transmitidas pela televisão. Focando na vida de dois deles, The Sky Crawlers - Eternamente (R$ 39,90, Sony) alcança um relato fascinante com grandiosas cenas de combate aéreo.

O treinamento de vôo intensivo é a única memória da infância do destemido piloto adolescente Yuichi, em cuja vida as batalhas aéreas convivem com a luta para descobrir mais sobre seu passado esquecido. Quando Suito, sua linda comandante, reluta em discutir o destino do piloto que Yuichi está substituindo - ou as condições estranhamente perfeitas do avião que era de tal piloto - a curiosidade de Yuichi aumenta ainda mais.

Visualmente inspirador, romântico e provocativo, com cenas de combate aéreos realistas e empolgantes, The Sky Crawlers é a história premiada de uma excitante, mas interminável guerra com heróis jovens demais para entender a realidade das suas batalhas.

O filme, realizado pelo estúdio Production I.G (de Blood+, xxxHOLiC) e exibido pela primeira vez na última edição do Festival de Cinema de Veneza, chega ao DVD com opções de áudio e legendas em japonês, espanhol e português; e ainda terá um documentário que mostra os detalhes da produção como conteúdo extra.


* fonte site animax

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Literatura: O Cachorro do Coelho

“O coelho Marcelo tem um cachorro amarelo. O cachorro, que se chama Zorro, tem um elefante imenso chamado Lourenço”. É assim, com uma sucessão de animais e um texto quase “cantado”, que se desenrola o livro O Cachorro do Coelho, ilustrado e escrito pela francesa Dorothée de Monfreid. Aqui no Brasil, a obra é lançada pela Martins Fontes com tradução de Mônica Stahel (R$ 19,80).

Nascida em uma família de artistas, Dorothée diz que desenha desde que aprendeu a segurar um lápis. Profissionalmente, a literatura passou a fazer parte de sua vida há 10 anos. “Meu avô (Henry de Monfreid) foi escritor, minha avó é pintora, meu pai arquiteto... Eu sempre vivi imersa em um ambiente de muita observação das coisas, onde se desenhava e se lia bastante”, diz.

Em comemoração ao Ano da França no Brasil, Dorothée esteve no país, semana passada, para lançar o livro durante o 11º Salão da FNLIJ. Nesta entrevista, ela fala um pouco mais sobre o seu processo de criação e por que os animais estão sempre tão presentes em suas histórias.

Como surgiu a ideia para O Cachorro do Coelho?
Eu me inspirei em um conto russo chamado A Casa da Mosca. Nessa história, há uma sucessão de animais que preenche uma casa até que um urso, grande demais para entrar, chega esmagando tudo. Eu parti desse princípio de acumulação e reiventei a história.

Geralmente, você pensa primeiro na história ou na ilustração?
Depende. Um pouco dos dois a cada vez. Frequentemente eu começo imaginando um personagem e um tema. Então, eu desenho alguns croquis que definem o visual. Em seguida, escrevo a história e faço as ilustrações a partir dos croquis iniciais.

Por que você escolheu a literatura infantil? O que mais gosta em escrever para as crianças?
A literatura infantil é um dos raros segmentos em que podemos escrever e desenhar livremente. Não há a mesma pressão pela qual passam os escritores de literatura “adulta”. E, principalmente, por que temos o direito de ser engraçados!

Em seus livros, há um personagem ou tema que prefere?
Eu adoro desenhar animais. O personagem que eu mais desenhei até agora é o elefante Coco. Outra coisa que eu gosto é contar histórias que abordam as relações humanas, seja entre os amigos ou a família.

E por que essa escolha pelos animais? Você acredita que eles têm uma forte ligação com as crianças?
Muitas vezes, as crianças acabam se parecendo com os pequenos animais; elas têm a mesma espontaneidade e instinto deles. Do ponto de vista do desenho, os animais são menos intimidantes do que os humanos. Eles são mais facilmente transformados e interpretados.

Você tem duas filhas: uma de 4 anos e meio e outra de 1 ano e meio...como elas veem seu trabalho?
Elas adoram as histórias. E como meu marido também é autor e ilustrador, elas pensam que todos os pais sabem desenhar e fazer livros!

Elas já a inspiraram a escrever alguma história?
Provavelmente, mas no geral são as pequenas coisas que me inspiram, como uma roupa - o pijama do personagem Fantin em Noite Escura (livro também lançado pela Martins Fontes) é o mesmo de minha filha mais velha -, um ambiente, atitudes, expressões e comportamentos. Eu nunca sei dizer exatamente de onde vêm as idéias, elas são compostas sempre por uma mistura de coisas.

* texto de simone tinti, publicado originalmente no site da revista crescer

Destaques da semana (22.06 a 29.06)

(legenda: a era do gelo)

Dallas (dia 22, segunda a sexta, 13h, TCM, estreia) - canal exibe úlima temporada da série. Ainda que pareça mentira, o maquiavélico JR deixará de fazer maldades! Isso não quer dizer que ele vá se regenerar.

Semana da Inteligência Musical (de 22 a 26, 20h, NatGeo) - canal exibe uma série de documentários que acompanham os pesquisadores em sua busca para elucidar como o cérebro processa a música e como a cultura determina as preferências musicais.

Celebridades do Brasil (dia 23, terça, 20h15, Canal Brasil, estreia) - Dirigido por Nelson Hoineff e Michel Melamed, programa viaja pelo país à procura de celebridades conhecidas somente em suas cidades.

Os Simpsons - O Filme (dia 24, quarta, 14h25, Telecine Pipoca) - na primeira aventura nas telonas da família de pele amarele, Homer provoca um grande desastre ecológico. Seu ato deixa Marge bem chateada, os vizinhos sedentos por vigança e a cidade acaba sendo isolada do resto mundo, sendo trancafiada dentro de uma gigantesca bolha (leia mais aqui).

Aladdin (dia 24, quarta, 20h, Disney Channel) - para se livrar de um casamento arranjado pelo pai, a princesa Jasmine, foge do palácio e se apaixona por um malandro da cidade. Após ser capturado, Aladdin sai em busca de uma lâmpada mágica que possui dentro dela um gênio que lhe concederá três pedidos. O animado dirigido por Ron Clements e John Musker ganhou dois Oscar.

Wonderful Days (dia 24, quarta, 22h, Cinemax) - em um futuro próximo a Terra está ameaçada pela superpopulação e o excesso de poluição. Nesse mundo apocalíptico, resta apenas um lugar seguro para a humanidade, a cidade batizada de Ecoban. Usando a poluição como fonte, ela se isolou do resto do planeta, mas muitas pessoas ficaram de fora. Durante uma perseguição a um intruso, a oficial Jay descobre os segredos que envolvem a Ecoban. Para acabar com a tirania e tornar a Terra um lugar habitável novamente, ela ingressa em uma milícia da MARR, uma cidadela ao redor de Ecoban, onde seus habitantes sao usados como escravos.

Atos que Desafiam a Morte (dia 24, quarta, 22h15, HBO) - O famoso ilusionista Harry Houdini (Guy Pearce) chega a Edimburgo e oferece US$ 10 mil a quem conseguir entrar em contato com sua mãe no além. Mary McGarvie (Catherine Zeta-Jones), uma médium bela e trapaceira, aceita o desafio.

Final Fantasy (dia 25, quinta, 12h45, TNT) - no futuro, a bela doutora Aki Ross (voz de Ming-Na) é uma das sobreviventes do massacre dos ETs e a esperança da humanidade. Guiada pelo seu mentor, o dr. Sid (Donald Sutherland), e com a ajuda de uma equipe de militares liderados pelo capitão Gray Edwards (Alec Baldwin), ela corre contra o tempo para criar uma "cura" contra o contágio antes que seja tarde demais (leia mais aqui).

Zathura - Uma Aventura Espacial (dia 25, quinta, 15h, TNT) - dois garotos sem muito o que fazer descobrem no porão um antigo jogo de tabuleiro de metal. Ao iniciarem a brincadeira, eles são transportados para o espaço, com casa e tudo, vivendo grandes aventuras e perigos (leia mais aqui).

Toy Story 2 (dia 25, quinta, 20h, Disney Channel) - nesta nova aventura, Woody tenta salvar um brinquedo que acaba indo parar em um bazar de usados e termina sendo sequestrado. Buzz e os outros brinquedos do quarto de Andy partem em uma atrapalhada operação de resgate.

Homem Aranha 2 (dia 25, quinta, 22h, A&E, estreia) - já se passaram dois anos desde que Peter Parker se transformou em Homem-Aranha, mas ele continua tentando encontrar o equilíbrio perfeito em sua vida. Em meio a esta busca terá que enfrentar o brilhante cientista Otto Octavius, que se transformou no malévolo Doutor Octopus, depois de ter sofrido um acidente trabalhando em seu último experimento.

Heroes (dia 26, sexta, 21h, Universal) - canal exibe último episódio da terceira temporada da série. Em Uma Linha Invisível, Sylar enfrenta cara a cara os irmãos Petrelli.

Fim do Mundo em Duas Versões (dias 26 e 28, 22h, The History Channel) - esta semana, o canal exibe dois estudos sobre o fim do mundo: Deus Versus Satã: A Batalha Final e Nostradamus: 2012. O primeiro analisa a descrição bíblica de uma batalha que aconteceria em Megido, Israel. O segundo, segue a ideia de que o mundo vai acabar em 21 de dezembro de 2012. Depois de nada ter acontecido no final de 1999, com todas as contas para pagar vivinhas da silva em janeiro, a data é a nova coqueluche de quem gosta de profecias apocalípticas.

Pinóquio 3000 (dia 27, sábado, 12h10, Megapix) - Pinocchio 3000 (dia 09, sábado, 20h, Nickelodeon) - um robô que ganha vida aenergia foge de seu criador e se aventura em uma cidade totalmente tecnológica, controlada por um prefeito obcecado pelo progresso – e onde as crianças tentam encontrar um espaço para se divertir (leia mais aqui).

Caçada à Relíquia Perdida (dia 27, sábado, 20h, A&E, estreia) - em Jerusalém, o jovem arqueólogo Steffen faz uma descoberta espantosa: uma tumba de 2 mil anos contendo um esqueleto e o manual de uma câmera de vídeo que ainda não saiu no mercado. O nome Jesus é encontrado em uma carta, e será o elemento determinante de uma caçada para que Steffen e sua equipe encontrem o espelho sagrado que revelará tudo.

Speed Racer - O Filme (dia 27, sábado, 21h, HBO, estreia) - baseado na série criada nos anos 60 por Tatsuo Yoshida, o filme ostra as aventuras do jovem piloto Speed (Emile Hirsh) e seu potente carro Mach 5 nas pistas de corrida, enfrentando perigos e muitos inimigos (leia mais aqui).

Gente Lesa (dia 27, sábados, 21h, GNT, estreia) - Nova série, com 13 episódios, mostra de forma bem-humorada e crítica como encaramos assuntos ligados à cidadania e à responsabilidade socioambiental. No elenco, Isio Ghermann, Lorena da Silva, Bruna Savaget, Bianca Brunstein, Gabriel Sanches, Angélica Borges e Yago Machado - com participações especiais de Claudia Ohana, Tony Garrido e Luiza Brunet.

A Era do Gelo (dia 27, sábado, 22h, Fox) - um grupo de animais inusitados - um mamute, um bicho-preguiça e um tigre dente-de-sabre - parte em uma jornada de perigos e humor para levar um bebê humano de volta a seus pais (leia mais aqui).

O Incrível Hulk (dia 27, sábado, 22h, Telecine Premium, estreia) - nesta segunda aventura protagonizada pela criatura verde, Bruce (Edward Norton) agora vive longe de Betty Ross (Liv Tyler), a mulher que ama, a fim de encontrar um meio de retirar a radiação gama que está em seu sangue. Ao mesmo tempo, ele precisa fugir da perseguição do general Ross (William Hurt), seu grande inimigo, e da máquina militar que tenta capturá-lo, na intenção de explorar o poder que faz com que Banner se transforme no Hulk.

Corteo (dia 28, domingo, 22h, A&E, estreia) - um desfile festivo fruto da imaginação de um palhaço que descobre sua força e fragilidade, assim como sua sabedoria e bondade, ilustrando deste modo a parcela de humanidade que há no interior de todos nós. A capacidade do acrobata de mergulhar o público em seu mundo teatral de diversão, comédia e espontaneidade ambienta-se em um espaço misterioso entre o Céu e a Terra.

As Origens da Vida (dia 29, segunda, 21h, The History Channel, estreia) - bilhões de anos antes que o homem caminhasse sobre a Terra, inclusive antes mesmo que os dinossauros existissem, havia muita vida em nosso planeta. Organismos unicelulares fizeram de nossos oceanos um caldo de cultura para a vida. Como se iniciou este processo? De onde vem a vida? Seria um processo químico, espiritual ou uma combinação de ambos?

O Signo da Cidade (dia 29, segunda, 22h, Canal Brasil, estreia) - a estreia de Carlos Alberto Riccelli como cineasta leva para as telas o roteiro de Bruna Lombardi, mulher do diretor e atriz principal do filme. Tendo como pano de fundo a grandiosidade da cidade de São Paulo, a produção busca refletir sobre temas bastante contemporâneos da vida nos centros urbanos, como amor, solidão, solidariedade e infelicidade. No elenco, além de Bruna, Juca de Oliveira, Malvino Salvador, Denise Fraga, Eva Wilma, Thiago Pinheiro, Sidney Santiago, Graziella Moretto, Bethito Tavares, Fernando Alves Pinto, dentre outros.

Jóqueis (dia 29, segunda, 22h, Animal Planet, estreia) - a vida desses profissionais é tema de documentário que revela ainda os bastidores das apostas, o tratamento dos cavalos e os dramas dos montadores.

(shirley paradizo)

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Estreia: 3,2,1, Vamos!

A turma da Vila Sésamo ganha novos companheiros. Feito especialmente para as crianças da América Latina, 3,2,1, Vamos! é apresentado pela fadinha Abby Cabaddy. Além de interagir com a audiência, convidando os pequenos telespectadores a participarem de brincadeiras, ela apresentará segmentos de três sucessos inéditos no Brasil: Brinque Comigo Sésamo, As Viagens de Grover e As Grandes Aventuras de Ênio e Beto – esta última é a primeira série feita com bonecos de argila da Sesame Workshop (os criadores de Vila Sésamo e Os Muppets).

Em Brinque Comigo Sésamo, a fada estimula os pequenos a dançar, a cantar e a se movimentar, enquanto reforça lições de alfabetização e matemática. Já Viagens de Grover mostra diferentes países e o que as crianças de cada lugar têm em comum. Em Grandes Aventuras de Ênio e Beto, os personagens abordam o valor de uma grande amizade - juntos, eles exploram o mundo e resolvem os problemas com muito bom humor.

Exibição: dia 22, segunda a sexta, 7h30, Discovery Kids

Indicação: a partir dos 3 anos

(shirley paradizo)

Tarzan animado faz 10 anos

"Uma lenda imortal – como você somente imaginou." Esta foi a frase usada nos cartazes, trailers e outros materiais que divulgaram o lançamento do longa animado Tarzan, em 1999. Pode parecer pretensioso, afinal o homem das selvas criado por Edgar Rice Burroughs já tinha ganhado vida de muitas formas, fosse no cinema, nos livros ou nas histórias em quadrinhos. Como o longa-metragem que a Disney estava prestes a lançar poderia representar melhor esta magnífica criação, tão conhecida pelo público?

Mas a Disney sabia que estava lidando com um personagem muito rico e que ainda havia muita coisa nele que as produções anteriores não tinham conseguido mostrar muito bem. E isso inclui a movimentação e as estripulias que Tarzan fazia em suas aventuras. “Nós mataríamos qualquer ator que tentasse fazer as coisas que o nosso Tarzan animado fazia”, afirma Glen Keane, supervisor de animação do protagonista. “É um personagem que só poderia ser realizado, da forma concebida por Burroughs, em animação.” Keane não estava brincando. Logo que o personagem começou a fazer mais sucesso, por volta de 1914, Hollywood quis levá-lo para as telonas, mas deu de cara com esse problema: realmente seria impossível mostrar um Tarzan que fizesse tudo o que era descrito no livro de Burroughs, sem matar alguém… ou sem levar um estúdio inteiro à falência!

A versão disneyana do rei das selvas de fato conseguiu apresentar ao público muitos detalhes poucos explorados no personagem - e este, entre outros motivos, faz com que Tarzan mereça uma atenção especial dos fãs de animação. Ontem, dia 18 de junho de 2009, fez 10 anos que a Disney lançou o animado. Ainda que muitas vezes não receba o seu devido valor, é um dos longa-metragens animados mais bem produzidos já lançados pelo estúdio, e fechou a década de noventa de maneira admirável. Vale a pena lembrar um pouco dos méritos desse excelente filme.

No início do século 20, faziam sucesso nos Estados Unidos as revistas pulp (quem já viu o filme Pulp Fiction sabe o que é isso). Essas revistas eram impressas em material barato e traziam histórias de todos o tipo: aventura, romance, faroeste, romance, ficção científica etc. E foi em uma dessas publicações (a All-Story) que, em 1912, um jovem escritor chamado Edgar Rice Burroughs lançou Tarzan of the Apes, história que fez grande sucesso entre o público da revista. Logo, o autor decidiu dar uma continuação a ela, e escreveu The Return of Tarzan, que também se saiu muito bem nas vendas.

Mas Burroughs sabia que seu personagem poderia lhe dar um retorno muito maior se saísse do universo das revistas pulp e fosse publicado como livro. E, quando isso aconteceu, em 1914, Tarzan realmente começou a ter uma fama cada vez maior. Não demorou muito para que quisessem lançar um filme do homem-macaco nos cinemas – e assim, em janeiro de 1918, estreou Tarzan of the Apes, um dos primeiros filmes da história a ter uma bilheteria de mais de um milhão de dólares.

A partir daí, Tarzan alçou voos cada vez mais altos, tornando-se protagonista de programas de rádio, televisão, histórias em quadrinhos, e mais de 40 filmes. Mas ninguém jamais havia feito um desenho animado com o personagem. Ao que parece, Edgar Rice Burroughs até pensou em um projeto desse tipo, pois em 1936 o escritor enviou uma carta ao seu filho Jack, na qual dizia que andava pensando em fazer uma versão animada do seu personagem, e enfatizava que a animação deveria “se aproximar da excelência da Disney”. O projeto acabou não vingando. Várias décadas depois, Tarzan finalmente chegou ao universo dos desenhos… e pelas mãos da própria Disney!

Em 1995, o estúdio do Mickey decidiu fazer sua própria versão para o clássico de Burroughs. Para entender melhor o universo de Tarzan e poder passar para o público tudo o que ele tinha para oferecer, a equipe da Disney viajou para a África. Os animadores contam que isso ajudou muito, em especial em duas coisas: a primeira foi compreender melhor os animais que viviam com Tarzan. Eles esperavam encontrar gorilas monstruosos, que atacassem qualquer um que cruzasse seu caminho, mas perceberam que estavam totalmente enganados. A segunda foi a possibilidade de representar melhor as paisagens africanas. Os artistas observaram, fotografaram e filmaram tudo o que podiam. Certamente isso ajudou muito nos belíssimos cenários e paisagens que vemos no decorrer de Tarzan.

A produção foi árdua. E em 18 de junho de 1999, o desenho foi lançado nos cinemas americanos. Alcançando 87% de aprovação no site Rotten Tomatoes, a versão disneyana do homem-macaco conquistou a grande maioria dos críticos: “Há algo lá no fundo da lenda de Tarzan que fala conosco e o animado da Disney capta isso”, escreveu o crítico de cinema Roger Ebert. Tarzan foi ainda o maior sucesso comercial da Disney desde O Rei Leão, arrecadando cerca de US$ 500 milhões ao redor do planeta.

Tarzan é considerado, por muitos fãs, o último grande clássico Disney. Não por ser feito em animação tradicional, afinal, depois dele o estúdio ainda lançou outros títulos em 2D como Atlantis: O Reino Perdido e Lilo & Stitch. Também não se trata exatamente da qualidade, pois a Disney ainda produziu mais alguns filmes que são indiscutivelmente bons – como A Nova Onda do Imperador. Mas Tarzan foi o filme que encerrou uma era. Foi o último suspiro de um tempo em que, todos anos, podíamos ver no cinema animações majestosas que, com suas canções e momentos inesquecíveis, levavam o público para longe da realidade.

Apesar de presentear o público com ótimas cenas de ação, Tarzan se concentra bem mais em algo não tinha muito espaço nas versões anteriores da história: os dilemas do protagonista e a sua relação com os gorilas. “Acho que, realisticamente falando, nunca tínhamos visto um retrato fiel da relação de Tarzan com sua família de macacos e com os animais”, diz Bonnie Arnold, produtora do filme. Claro que esse é um item um tanto obrigatório, tratando-se de uma produção da Disney: um estúdio que ganhou fama por contar grandes histórias que se baseavam em valores como amor e amizade não poderia deixar esse filme se resumir aos combates de Tarzan com todo tipo de criatura existente.

Tarzan é um filme que podemos chamar de maduro. E é, com certeza, bastante superior a boa parte dos filmes live-action que o cinema lançou ao longo do século 20. Não que esses filmes fossem ruins, longe disso; mas não dá para negar que a versão da Disney soube tratar a criação de Edgar Rice Burroughs de uma maneira diferente. Se você assistir a Tarzan - O Magnífico (1960), por exemplo, terá um entretenimento de ótima qualidade. Porém, o Tarzan interpretado por Gordon Scott é basicamente um protótipo de galã de novela mexicana que usa tanga e está sempre pronto pra ajudar a todos com suas atitudes heróicas. O Tarzan que vemos no filme da Disney não é assim.

A equipe do desenho se mostrou bastante hábil em relação ao respeito ao desenvolvimento dos personagens: por todo o tempo, são figuras críveis e divertidas, que envolvem o público na história. A começar pelo protagonista – apesar de sua infância ser mostrada apenas nos primeiros instantes do filme, Tarzan permanece sendo sempre uma grande criança. Isso faz com que o público infantil se identifique com ele; e os espectadores mais velhos podem se envolver mais na sua história. O homem-macaco ainda passa por uma série de conflitos emocionais. Acrescente-se a isso a determinação, a força, a esperteza e o heroísmo que ele exibe, e podemos ver que Tarzan é praticamente um Batman das selvas.

Os outros personagens do filme também foram muito bem construídos. Kala e Kerchak, que em outros filmes e histórias costumavam ficar em segundo plano, na versão da Disney têm personalidades fortes e marcantes, e são figuras fundamentais na narrativa. Jane, o par romântico de Tarzan, é uma personagem divertida e agradável, assim como seu pai, o Prof. Porter. A função de alívio cômico ficou por conta de Tantor e Terk, que cumprem bem o seu papel – mas convenhamos que eles não são lá grande coisa se comparados com outros coadjuvantes como o Mushu de Mulan e Timão e Pumba de O Rei Leão, que eram bem mais carismáticos.

E é claro que nesse “elenco” ainda temos o sensacional Clayton, um vilão que só não é mais sinistro por causa do seu afetado sotaque britânico. Mas o caçador interpretado por Brian Blessed (e que ganhou a voz de Dário de Castro na versão brasileira) se destaca por ser um perfeito contraponto ao protagonista: Tarzan é basicamente um “selvagem”, ainda cheio de inocência e curiosidade e, nos momentos de perigo, tem como arma apenas sua inteligência e agilidade. Clayton, por sua vez, é um homem mais “civilizado”. Tem um aspecto imponente e ameaçador, é capaz de fazer qualquer coisa para alcançar seus objetivos, e aparenta ser um homem experiente, como denunciam a sua maneira de se comportar e os seus “cabelos de super-herói” (repare que, assim como o Reed Richards do Quarteto Fantástico, Clayton tem cabelos que são brancos apenas da metade para baixo!).

Porém, o filme se preocupa em não mostrar Clayton como alguém que é mau simplesmente pelo prazer de ser assim; apesar de imoral, a motivação ambiciosa do personagem é palpável e, tempos trás, quando o politicamente correto ainda não tinha tomado conta do planeta, seria até bastante compreensível.

Já a trilha sonora é um capítulo à parte. Phil Collins soube traduzir com maestria as emoções do filme em ótimas canções que se tornaram verdadeiros clássicos. Entre elas, vale destacar a ótima Two Worlds, que define muito do que está presente em Tarzan; e é claro, You’ll Be in My Heart, cuja profundidade e beleza lhe renderam um Oscar e um Globo de Ouro, ambos na categoria Melhor Canção Original.

Assim como Aladdin, Hércules e vários outros filmes animados da Disney, Tarzan acabou se tornando uma série de TV. Disney: A Lenda de Tarzan, lançado no Disney Channel em 2001, teve 36 episódios e mostrava Tarzan, Jane, prof. Porter e todos os animais do filme vivendo diversas aventuras na selva africana. A série se destacava por apresentar diversos personagens e situações extraídas dos antigos livros e histórias de Edgar Rice Burroughs. Em 2002, foi lançado o DVD Tarzan & Jane, que usava uma trama singela como pretexto para uma compilação de alguns episódios da série de TV.

Mas Tarzan & Jane não era realmente uma continuação do filme de 1999. Para preencher essa “lacuna”, em 2005 a Disney lançou em DVD o filme Tarzan 2, que mostrava o homem-macaco ainda em sua infância, imerso em questionamentos sobre sua vida e identidade. Apesar de não ter nem metade da qualidade do filme original, Tarzan 2 não é de se jogar fora: o filme tem uma animação muito boa para os padrões dos filmes direct-to-video da Disney, trouxe de volta alguns atores da produção original e apresenta duas canções inéditas de Phil Collins, além de uma nova versão de Son of Man.

Mais recentemente, em 2006, Tarzan foi parar nos palcos da Broadway. Exibido em diversos países, o musical baseado no longa-metragem da Disney contou com as canções originais do filme e mais material inédito composto por Phil Collins, especialmente para o projeto.
Estes “derivados” que surgem de tempos em tempos mostram que o personagem tem uma característica que está presente nos melhores filmes da Disney: a capacidade de se manter divertido e cativante, não importa a época ou situação.

O carisma dos seus personagens e a beleza de sua história dão a Tarzan um lugar garantido entre os filmes mais importantes do universo da animação. Mais do que isso: o filme apresentou uma das figuras mais importantes da história da indústria do entretenimento a toda uma nova geração. “Com o Tarzan da Disney, o lendário personagem de Burroughs entrou no século 21, tão popular e atraente quanto na época em que surgiu, em 1912”, afirma o site oficial Edgar Rice Burroughs. Tarzan é realmente um filme maravilhoso. E continuará sendo, por muitas e muitas décadas.

(A.J. Oliveira*)

* texto publicado originalmente do animatoons

Da minha coleção...




O espetacular curta To the Moon (2008) foi criado por Jacob Ospa, da School of Visual Arts. Sem diálogos e com uma sonoplastia impecável, o filmete acompanha a jornada de um homenzinho que decide ir à Lua a bordo de um balão. Mas a Lua não fica lá muito satisfeita com a chegada do "intruso"... Vale salientar que Jacob Ospa tinha 20 anos quando realizou esta animação (2008).

(shirley paradizo)

Up ganha pôster nacional

E a divulgação de Up: Altas Aventuras em terras tupiniquins continuam a todo vapor. Recentemente, foi disponibilizado o primeiro pôster nacional do longa animado, que traz não apenas os protagonistas, mas também a casa voadora e aluguns bichinhos que vão acompanhar os personagens nesta décima aventura da história da Pixar.

A trama acompanha Carl Fredricksen, um vendedor de balões de 78 anos que, finalmente, realiza o grande sonho de sua vida ao partir para uma grande aventura. Para isso, ele prende centenas de balões na sua casa e voa para as florestas da América do Sul. Mas ele descobre - tarde demais - que seu pior pesadelo embarcou com ele na viagem: Russel, um escoteiro de 8 anos e explorador da natureza.

Com a direção de Pete Docter (de Monstros S.A.) e Bob Peterson (desenhista dos dois Toy Story e co-roteirista de Procurando Nemo), o animado será apresentado em Disney Digital 3D em salas que comportem a tecnologia e está previsto para estrear em 4 de setembro nos cinemas brasileiros. Nos Estados Unidos, Up: Altas Aventuras está arrasando nas bilheterias.

(shirley paradizo)

Natal assombrado

A Disney Brasil oficializou o título nacional de A Christmas Carol. Por aqui, o novo longa-metragem de Robert Zemeckis recebeu o nome de Os Fantasmas de Scrooge, para fugir dos já exastivos Um Conto de Natal ou Um Cântico de Natal. A nova versão do clássico foi realizado na tecnologia de captura de movimentos - a mesma que o diretor usou em O Expresso Polar e A Lenda de Beowulf - e é baseado em clássico conto de Charles Dickens.

Na história, o rabugento Ebenezer Scrooge (Jim Carrey) começa as férias de Natal como de costume: mesquinho e de mau-humor, berrando com seu fiel assistente (Gary Oldman) e com seu alegre sobrinho (Colin Firth). Mas, quando os fantasmas dos Natais Passado, Presente e Futuro, o levam em uma surpreendente jornada que revela as verdades que o velho Scrooge reluta em enfrentar, ele deve abrir seu coração para desfazer anos de maldades antes que seja tarde demais.

Além de interpretar o protagonista, Carrey vai encarnar outros papéis coadjuvantes como os fantasmas do Natal Presente, Passado e Futuro. Já Gary Oldman (de Batman: O Cavaleiro das Trevas) vive três personagens, sendo visto como Jacob Marley (falecido sócio do avarento Ebenezer Scrooge), Bob Cratchit (o secretário do protagonista) e Tim (um garoto com problema nas pernas e um dos quatro filhos de Cratchit).

Os Fantasmas de Scrooge está agendado para chegar nos cinemas de todo o Brasil no dia 06 de novembro de 2009, com cópias em Disney Digital 3D.

(shirley paradizo)

quinta-feira, 18 de junho de 2009

As 10 adaptações mais malucas para o cinema

O site da revista especializada Variety divulgou recentemente que a popular série de livros infanto-juvenis Onde está Wally? vai ganhar uma versão cinematográfica (leia mais aqui). O anúncio é indício da crise de criatividade que ronda Hollywood, que faz com que os estúdios peguem carona em adaptações de quadrinhos, videogames de sucesso e remakes para garantir o retorno nas bilheterias.

Algumas vezes, porém, a falta de ideias parece ir longe demais, como no caso de uma possível versão cinematográfica para o serviço de microblogging Twitter. Para lembrar desses casos, aqui vai uma lista com as dez adaptações mais malucas para o cinema.

Twitter - o serviço de microblog inspirou o filme 140. Segundo o diretor irlandês Frank Kelly, o longa será formado por 140 diferentes segmentos de 140 segundos cada, filmados ao mesmo tempo por diretores ao redor de todo o mundo, sincronizados pelo Twitter. As filmagens vão começar no dia 21 de junho, segundo o site IMDb.

Monopoly - o jogo de tabuleiro, similar ao Banco Imobiliário do Brasil, vai para a tela grande pelas mãos do diretor Ridley Scott (de Blade Runner e Thelma e Louise), com roteiro assinado por Pamela Pettler (de A Noiva-Cadáver), segundo o site The Hollywood Reporter.

Onde Está Wally? - o filme baseado na série de livros infanto-juvenis será produzido pela Universal e pela Illumination Entertainment. Wally, com sua camisa listrada, óculos redondos e gorro, vai virar um “filme para a família” com atores de carne-e-osso.

Batalha Naval - a fabricante de brinquedos Hasbro está produzindo um filme sobre o popular jogo em parceria com a Universal. Em maio deste ano, o site The Hollywood Reporter revelou que o ator e diretor Peter Berg (de Hancock) é um dos cotados para dirigir a adaptação, que terá roteiro dos irmãos Jon e Eric Hoeber.

Ouija Board - no início de 2009, o site Sci-Fi Wire anunciou que o produtor Brad Fuller estaria à procura de um roteirista para criar uma adaptação do jogo de tabuleiro esotérico Ouija Board – parecido com a nossa “brincadeira do copo”. Antes disso, o filme Espírito Assassino, de 1986, já usou o jogo como tema.

Facebook - o roteirista Aaron Sorkin (de Jogos de Poder) anunciou que estava trabalhando no filme em sua página oficial no site de relacionamentos. O longa-metragem, que está sendo produzido pelo Facebook em parceria com a Sony, vai mostrar a história da criação e do desenvolvimento do site de relacionamentos sociais.

Second Life - a mistura de rede social e ambiente 3D rendeu um documentário feito inteiramente dentro do “mundo” de Second Life. My Second Life: The Video Diaries of Molotov Alva foi comprado pela HBO e mostra Alva, o alter-ego on-line do diretor Douglas Gayeton em uma busca pelo criador de Second Life – com imagens captadas dentro do próprio game.

Super Mario Bros. - o filme de 1993 foi uma das primeiras adaptações de videogames para as telas com atores de carne-e-osso. Apesar do elenco semi-estelar, que incluía Dennis Hopper como o vilão King Koppa e John Leguizamo como Luigi, o longa não foi bem nas bilheterias – muito menos com a crítica. Em 2007, o ator Bob Hopskins, que interpretava Mario, disse que o filme foi “a pior coisa que já fiz”.

Chiclete Bazooka Joe - o site Slash Film anunciou em maio deste ano que a produtora Tornante Co. vai lançar uma adaptação da tirinha Bazooka Joe, que era impressa na embalagem do chiclete Bazooka na década de 50. Escrita pelo novato Mark Hammer, a adaptação foi parar na seção “pior ideia de todos os tempos” do site.

Detetive - de acordo com o Hollywood Reporter, o jogo será levado para as telonas por Gore Verbinsky, responsável por Piratas do Caribe. Se tudo correr como o esperado, esta será a segunda vez que Detetive ganha as salas de cinema. Em 1985, o jogo teve uma versão cinematográfica estrelado por Christopher Lloyd e Madeline Kahn.

(shirley paradizo*)

*com fonte do portal g1

Adaptação cancelada!

Infelizmente, nem tudo no mundo das animações e do cinema são cercados de boas notícias. Por esses dias, o Bloody-Disgusting publicou uma nota afirmando que a adaptação para os cinemas em live action do mangá e anime Akira foi por água abaixo. O site revelou ter confirmado com duas fontes que a produção foi interrompida e o diretor, Ruairi Robinson, retirou-se do projeto. Fica adiada, portanto, a estreia em longas-metragens do diretor irlandês de 29 anos, indicado ao Oscar de curta-metragem por The Silent City. O filme estava na mão da companhia de Leonardo DiCaprio, a Appian Way, junto à Warner Brothers.

A trama de Akira se passa 30 anos depois da 3ª Guerra Mundial, em Neo Tóquio, uma cidade destruída por uma suposta bomba nuclear. Nesse cenário caótico vivem Kaneda e Tetsuo, que fazem parte de uma gangue de motoqueiros. Durante uma disputa entre duas gangues, Tetsuo atropela uma criança misteriosa, fugitiva de um programa governamental de investigação psíquica. Os dois são levados pelos membros desse programa, que realiza as mais diversas experiências em Tetsuo, despertando nele poderes até então latentes.

Akira é um dos mangás japoneses mais populares de todos os tempos. Criado por Katsuhiro Otomo, é considerado um clássico do estilo cyberpunk. Foi publicado pela primeira vez em 1982 e chegou ao fim em 1990, com seis volumes e mais de duas mil páginas. Em 1987, a obra deu origem a um longa-metragem de animação homônimo, com roteiro e arte de Otomo. O anime está disponível em DVD.

(shirley paradizo)

Estreia antecipada!

Se você está louco para assistir a segunda aventura que acompanha uma trupe de robôs alienígenas em sua luta para manter a paz a Terra, pode comemorar! Transformers: A Vingança dos Derrotados teve seu lançamento antecipado para o dia 23, terça. E não é naquele esquema de exibições à meia-noite. O filme de Michael Bay terá sessões normais no país durante todo o dia 23. Nesta continuação, Sam (Shia LaBeouf) e Mikaela (Megan Fox) voltam a ficar na mira dos Decepticons.

Agora os malvados robôs precisam do rapaz vivo e sem nenhum arranhão, já que ele detém conhecimentos valiosos sobre as origens dos Transformers e como aconteceu a história dos robôs na Terra. Enquanto isso, os militares americanos e uma força internacional juntam-se aos bons Autobots para enfrentar os vilões.

Os malvados Constructicons irão ajudar os Decepticons. Eles são Scrapper, Bonecrusher, Scavenger, Mixmaster, Hook e Long Haul. Juntos, eles formam o Devastator. Os vilões Constructicons irão ajudar os Decepticons. Eles são Scrapper, Bonecrusher, Scavenger, Mixmaster, Hook e Long Haul. Juntos, eles formam o Devastator.

Com capacidade para vários disfarces, como por exemplo, se transformarem em um navio, jato ou em um helicóptero, eles são conhecidos como os Autobots (Operários), que liderados por Optimus Prime, lutam há eras contra os malignos Decepticons (militares), liderados por Megatron.

Enquanto você espera ansiosamente o Transformers: A Vingança dos Derrotados aterrissar nas salas de cinema, divirta-se com o site de realidade aumentada que a Paramount colocou no ar para promover o filme aqui.

(shirley paradizo)