quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Scream Awards indica animações

O mais novo longa-metragem de animação da Disney/Pixar, UP: Altas Aventuras, que anda arrecandando milhões nas bilheterias do mundo, recebeu cinco indicações ao Scream Awards 2009. A premiação homenageia os melhores do terror, da fantasia, da ficção científica e das histórias em quadrinhos. Apresentada no dia 31 de outubro, o Scream Awards 2009 será exibido no Brasil a partir de 0h25, com exclusividade pelo canal TNT. Os filmes vencedores são decididos por votação popular, que pode ser feita por meio do site oficial do evento.

O longa com maior número de indicações desse ano é Star Trek, com 17, incluindo a categoria principal The Ultimate Scream. Outras produções que se destacaram com o número de indicações foram Watchmen (12), Arraste-me para o Inferno (12), Transformers: A Vingança dos Derrotados (11), Crepúsculo (10) e Harry Potter e o Enigma do Príncipe (8). Outro longa animado a despontar na seleção é Coraline e o Mundo Secreto (3). Confira abaixo a lista completa dos indicados.

The Ultimate Scream
Arraste-me para o Inferno
Deixe Ela Entrar
Star Trek
Transformers: A Vingança dos Derrotados
Crepúsculo
Up: Altas Aventuras

Melhor Filme de Fantasia
Coraline e o Mundo Secreto
Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Crepúsculo
Up: Altas Aventuras
Watchmen
X-Men Origens: Wolverine

Melhor Ator em Filme ou Série de Fantasia
Ed Asner (Up: Altas Aventuras)
Hugh Jackman (X-Men Origens: Wolverine)
Robert Pattinson (Crepúsculo)
Brad Pitt (O Curioso Caso de Benjamin Button)
Daniel Radcliffe (Harry Potter e o Enigma do Príncipe)
Michael Sheen (Anjos da Noite 3)

Melhor Atriz em Filme ou Série de Fantasia
Anna Friel (Pushing Daisies)
Scarlett Johansson (The Spirit)
Jaime King (The Spirit)
Rhona Mitra (Anjos da Noite 3)
Kristen Stewart (Crepúsculo)
Emma Watson (Harry Potter e o Enigma do Príncipe)

Melhor Filme de Terror
Dead Snow
Arraste-me para o Inferno
Sexta-Feira 13
Deixe Ela Entrar
Dia dos Namorados Macabro 3D
Splinter

Melhor Ator em Filme ou Série de Terror
Bruce Campbell (My Name is Bruce)
Michael C. Hall (Dexter)
Kre Hedebrant (Deixe Ela Entrar)
Justin Long (Arraste-me para o Inferno)
Ryan Kwanten (True Blood)
Stephen Moyer (True Blood)

Melhor Atriz em Filme ou Série de Terror
Jennifer Carpenter (Quarentena)
Jaime King (Dia dos Namorados Macabro 3D)
Lina Leandersson (Deixe Ela Entrar)
Alison Lohman (Arraste-me para o Inferno)
Anna Paquin (True Blood)
Monica Potter (The Last House on the Left)

Melhor Filme de Ficção Científica
Presságio
Moon
Outlander
Star Trek
Exterminador do Futuro 4: A Salvação
Transformers: A Vingança dos Derrotados

Melhor Ator em Filme ou Série de Ficção Científica
Nicolas Cage (Presságio)
Josh Holloway (Lost)
Shia LaBeouf (Transformers: A Vingança dos Derrotados)
Chris Pine (Star Trek)
Zachary Quinto (Star Trek)
Sam Rockwell (Moon)

Melhor Atriz em Filme ou Série de Ficção Científica
Moon Bloodgood (Exterminador do Futuro 4: A Salvação)
Eliza Dushku (Dollhouse)
Megan Fox (Transformers: A Vingança dos Derrotados)
Lena Headey (Terminator: The Sarah Connor Chronicles)
Katee Sackhoff (Battlestar Galactica)
Zoe Saldana (Star Trek)

Melhor Atriz Coadjuvante
Jennifer Carpenter (Dexter)
Ashley Greene (Crepúsculo)
Carla Gugino (Watchmen)
Evanna Lynch (Harry Potter e o Enigma do Príncipe)
Shirley Manson (Terminator: The Sarah Connor Chronicles)
Rutina Wesley (True Blood)

Melhor Ator Coadjuvante
Ryan Reynolds (X-Men Origens: Wolverine)
Simon Pegg (Star Trek)# Leonard Nimoy (Star Trek)
Taylor Kitsch (X-Men Origens: Wolverine)
Ruper Grint (Harry Potter e o Enigma do Príncipe)
Nelsan Ellis (True Blood)

Melhor Participação Especial
Kate Beckinsale (Anjos da Noite 3)
Helena Bonham Carter (Exterminador do Futuro 4: A Salvação)
Winona Ryder (Star Trek)
O Rosto de Arnold Schwarzenegger (Exterminador do Futuro 4: A Salvação)
Patrick Stewart (X-Men Origens: Wolverine)
Rainn Wilson (Transformers: A Vingança dos Derrotados)

Melhor Elenco
Battlestar Gallactica
Lost
Star Trek
True Blood
Crepúsculo
Watchmen

Melhor Revelação Feminina
Anna Torv (Fringe)
Zoe Saldana (Star Trek)
Lorna Raver (Arraste-me para o Inferno)
Isabel Lucas (Transformers: A Vingança dos Derrotados)
Lina Leandersson (Deixe Ela entrar)
Malin Akerman (Watchmen)

Melhor Revelação Masculina
Taylor Kitsch (X-Men Origens: Wolverine)
Taylor Lautner (Crepúsculo)
Robert Pattinson (Crepúsculo)
Chris Pine (Star Trek)
Will.I.Am (X-Men Origens: Wolverine)
Sam Worthington (Exterminador do Futuro 4: A Salvação)

Melhor Diretor
J.J. Abrams (Star Trek)
Tomas Alfredson (Deixe Ela Entrar)
Michael Bay (Transformers: A Vingança dos Derrotados)
Pete Doctor & Bob Peterson (Up: Altas Aventuras)
Duncan Jones (Moon)
Sam Raimi (Arraste-me para o Inferno)

Melhor Continuação
Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Justiceiro: Zona de Guerra
Exterminador do Futuro 4: A Salvação
Transformers: A Vingança dos Derrotados
Anjos da Noite 3
X-Men Origens: Wolverine

Melhor Roteiro
Coraline e o Mundo Secreto (Henry Selick)
Arraste-me para o Inferno (Sam Raimi, Ivan Raimi)
Deixe Ela Entrar (John Ajvide Lindqvist)
Moon (Duncan Jones, Nathan Parker)
Star Trek (Roberto Orci, Alex Kurtzman)
Up: Altas Aventuras (Bob Peterson, Pete Docter, Thomas McCarthy)

Melhores Efeitos Especiais
Arraste-me para o Inferno
Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Star Trek
Exterminador do Futuro 4: A Salvação
Transformers: A Vingança dos Derrotados# Watchmen

Melhor Música
War Zone - Rob Zombie (Justiceiro: Zona de Guerra)
New Divide - Linkin Park (Transformers: A Vingança dos Derrotados)
Other Father Song - They Might be Giants (Coraline e o Mundo Secreto)
Desolation Row - My Chemical Romance (Watchmen)
Decode - Paramore (Crepúsculo)
Bad Things - Jace Everett (True Blood)

Melhor Filme Estrangeiro
Dead Snow (Noruega)
Eden Lake (Inglaterra)
Deixe Ela Entrar (Suécia)
Martyrs (França)# Pontypool (Canadá)
Timecrimes (Espanha)

Melhor Série de TV
Battlestar Gallactica
Dexter
Fringe
Lost
Terminator: The Sarah Connor Chronicles
True Blood

Melhor Revista em Quadrinhos
Lanterna Verde
Hack/Slash
Kick-Ass
Thor
The Walking Dead
Wolverine: Old Man Logan

Melhor Desenhista de Quadrinhos
Tony Harris e Jim Clark (Ex Machina)
Steve McNiven (Wolverine: Old Man Logan)
Eric Powell (The Goon)
Frank Quitely (All-Star Superman, Batman e Robin)
Ivan Reis (Lanterna Verde)
John Romita Jr. (Amazing Spider-Man, Kick-Ass)

Melhor Roteirista de Quadrinhos
Brian Michael Bendis (Dark Avengers, Ultimate Spider-Man)
Joe Hill (Locke & Key)
Grant Morrison (All-Star Superman, Batman & Final Crisis)
Geoff Johns (Lanterna Verde, Sociedade da Justiça)
Mark Millar (Wolverine: Old Man Logan, Kick-Ass)
Brian K. Vaughan (Ex Machina)

Melhor Filme Baseado em Quadrinhos
Dragonball Evolution
Justiceiro: Zona de Guerra
The Spirit
Watchmen
X-Men Origens: Wolverine

Melhor Herói
Ray Stevenson como Justiceiro (Justiceiro: Zona de Guerra)
Taylor Kitsch como Remy Lebeau/Gambit (X-Men Origens: Wolverine)
Hugh Jackman como Logan/Wolverine (X-Men Origens: Wolverine)
Billy Crudup como Doutor Manhattan (Watchmen)
Malin Akerman como Espectral II (Watchmen)

Melhor Vilão
Eric Bana como Nero (Star Trek)
Cam Gigandet como James (Crepúsculo)
Lorna Raver como Sra. Ganush (Arraste-me para o Inferno)
Liev Schrieber como Victor Creed/Dentes de Sabre (X-Men Origens: Wolverine)
Alexander Skarsgrd como Eric Northman (True Blood)

Cena mais Impressionante do Ano
O Ataque dos Comensais a Londres (Harry Potter e o Enigma do Príncipe)
Destruição de Manhattan (Watchmen)
Space Dive na Orbital Drill (Star Trek)
O Sacrifício (Arraste-me para o Inferno)
Acidente no Metrô (Presságio)
Cena da Piscina (Deixe Ela Entrar)

Melhor Cena de “Luta até a Morte”
Arraste-me para o Inferno (A luta no carro)
X-Men Origens: Wolverine (Logan e Victor vs. Weapon XI)
Dead Snow (Martin e Roy vs. Zumbis Nazistas)
Transformers: A Vingança dos Derrotados (Optimus Prime vs. The Fallen)
Star Trek (Kirk vs. Spock)
Watchmen (Ozymandias vs. O Comediante)

Melhor Cena de Mutilação
Splinter (Cirurgia de remoção do braço)
Watchmen (Braços cortados pela serra)
Arraste-me para o Inferno (O bolo de olho)
Dead Snow (Cabeça cortada por Zumbis Nazistas)
Jogos Mortais 5 (O Pêndulo)
Deixe Ela Entrar (Cena da Piscina)

(shirley paradizo)

MGM pode fechar as portas

Uma das maiores produtoras dos Estados Unidos está a caminho da falência, de acordo com informações da Nikki Finke, do Deadline Hollywood Daily. E o estúdio em questão é nada mais que a Metro Goldwyn Mayer, mais conhecida como MGM Studios. A notícia de que os diretores do estúdio teriam pedido fundos emergenciais para manter a empresa viva até o fim do ano vazou para Finke, que divulgou no jornal ao qual trabalha.

"A MGM pediu desesperadamente fundos porque estão ficando no negativo, e em breve estarão sem dinheiro. Eles pediram cerca de 20 milhões de dólares a curto prazo como capital de giro para cobrir as despesas atuais. Além disso, pediram um adicional de 150 milhões de dólares para sobreviverem até o final do ano, e assim poderem continuar financiando os atuais projetos como O Hobbit", revelou a jornalista em sua matéria, garantindo fontes de dentro do próprio estúdio.

Atualmente, a MGM possui uma dívida de US$ 3,5 bilhões e os bancos acionistas revelaram que podem deixar a empresa pedir falência. Mas economistas dizem que essa atitude pode ser a pior. Caso a empresa chegue à falência, eles terão de abrir mãos dos direitos de um de seus filmes mais rentáveis: a franquia 007. O que é uma pena. Recentemente a MGM trouxe de volta para a casa a saga cinematográfica de James Bond, depois de um contrato de dois filmes com a Sony. Agora, beirando falência, o estúdio pode perder os direitos sobre ela, sem a qual não conseguiria sobreviver.

Até o momento não se sabe se o pedido de financiamento da MGM será aceito, mas já confirmaram que mesmo que a empresa não consiga sobreviver, a produção de O Hobbit, que terá direção de Guilherme Del Toro, poder ser a última dos estúdios, já que ela está completamente financiada e garantida até chegar aos cinemas.

* com fonto do cinema com rapadura

Félix ganha homenagem

Você se lembra do Gato Felix? O famoso gato dos desenhos animados comemora 90 anos e ganha uma exposição em sua homenagem. Até o dia 4 de outubro, a Fnac Pinheiros, em São Paulo, apresenta uma retrospectiva do personagem, com 30 peças originais - entre elas, as primeiras histórias em quadrinhos, pinturas em tela, antiguidades de merchandising e desenhos animados.

Quem sabe não é uma boa oportunidade de apresentar Felix para seus filhos? Com sua inseparável maleta, Gato Felix foi reconhecido como “primeiro ator norte-americano”, já que a imagem dele foi a primeira a ser exibida por um aparelho de TV doméstico, em 1928. No Brasil, a primeira aparição de Felix foi em 1929 nas páginas da Gazeta Infantil ou Gazetinha, um suplemento do jornal Gazeta. Monteiro Lobato também criou uma história chamada O Gato Felix, em que um impostor vai ao Sítio do Pica-Pau Amarelo e se passa pelo personagem. Mais tarde, a história se transformou em um capítulo de Reinações de Narizinho. Além da exposição, a comemoração dos 90 anos do personagem prevê uma nova série de TV para o segundo semestre de 2010, que está sendo produzida em tecnologia 3D.

Quem é o Gato Felix
O felino astuto foi o primeiro personagem importante de desenhos animados do mundo. Ele estreou em 1919, ainda antes de Mickey Mouse, na época do cinema mudo, e também foi o primeiro gato a estrelar um desenho animado. O criador do Gato Felix foi Otto Messmer, um animador de New Jersey que trabalhava para o estúdio de animação de Pat Sullivan em Nova York. Durante décadas, Messmer criou e desenhou animações, histórias em quadrinhos e ilustrações de Félix.

No entanto, apesar do estúdio de Sullivan assinar todas as obras, a autoria do personagem é reconhecida também como de Joe Oriolo, discípulo de Messmer que acabou assumindo o personagem e perpetuando sua fama até os dias de hoje.

Exposição - 90 anos Gato Felix

Onde: Fnac Pinheiros (1° andar) - Av. Pedroso de Morais, 858, Pinheiros, São Paulo (SP)
Quando: até 4 de outubro, das 10h00 às 22h00
Tel.: (11) 3579-2000
Entrada: franca
Censura: Livre
Estacionamento conveniado com manobrista

* texto de simoni tinti, publicado originalmente no site da revista crescer

Criança & TV: Preconceito contra a TV

Professor da UNA, vice-presidente da Associação Brasileira de Televisão Universitária (ABTU), mestre em educação e doutor em educação, o jornalista Cláudio Márcio Magalhães, 42, realizou em sua dissertação de mestrado curiosa pesquisa partindo da premissa de que os programas voltados para criança no Brasil, seja nas emissoras educativas ou nas comerciais, não se baseiam em teorias pedagógicas, mas em paradigmas que, por sua vez, são fruto de preconceitos.

“Minha primeira idéia foi de desconstruir três desses preconceitos sobre programas para crianças. O primeiro é o de que TV comercial é do mau e a TV educativa é do bem. O segundo, que a emissora educativa não pode ter qualquer interferência comercial, ou vão se macular a filosofia e a missão da instituição. E o terceiro vem da constatação que, como os programas educativos se auto-intitulam como tal, a exemplo do Telecurso e Globo Ciência, supõe-se que os demais programas não o são. Com tantas limitações, restringe-se a discussão sobre a programação infantil a uma polaridade, a um maniqueísmo do que é ou não educativo”, diz o autor, que reuniu suas anotações no livro Os Programas Infantis na TV – Teoria e Prática para Entender a Televisão Feita para Crianças, lançado pela editora Autêntica.

Mantenedor do Instituto Acompanhar, de apoio a crianças em idade escolar, e ex-dirigente da TV Uni-BH Inconfidentes, em Ouro Preto, e da TV Cultura de Itabira, Magalhães conversou com a reportagem sobre sua pesquisa.

Gostaria que o senhor definisse o termo “programa educativo”.
Um programa é educativo por sua capacidade complexa de interagir com seu público, despertando-lhe a reflexão e o sentido, trazendo novos conhecimentos acionados ao seu cotidiano, produzindo experiências interdisciplinares e extemporâneas. Reforça a aprendizagem formal e contribui para uma formação pessoal sintonizada com o contexto social em que programas e público estão inseridos. Ou seja, programa educativo é aquele que faz com que o telespectador se aprimore, independente de estar na emissora privada ou educativa, de ter ou não comerciais. Daí a quebra de paradigmas do livro. O programa educativo deve ser pensado não a partir de suas intenções, mas a partir da interação com as pessoas que o assistem. Pode que um Castelo Rá-Tim-Bum, produzido por pessoas que entendem de educação, tenha potencialidade de ser mais educativo do que outro que visa exclusivamente o entretenimento, mas é prepotência de quem faz pensar que vai ter com certeza o resultado almejado.

Como foi a evolução histórica dessa programação educativa?
Esses programas no Brasil começaram do mesmo estilo dos que havia no rádio, como o Circo do Carequinha. E, na realidade, os infantis surgiram assim, baseados no circo, em que há um apresentador que agrega atenção, seja ele um palhaço ou uma loura, e chama várias outras atrações. Essa ideia de oferecer à criança alguém que apresente as atrações não vem da invenção da Xuxa, mas do circo. A TV só reproduziu isso. Com o tempo, as outras atividades pedagógicas também foram se aprimorando e surgiram os programas com núcleo dramático, como Vila Sésamo, com uma proposta construtivista e o uso de bonecos e da repetição. Nesse momento, os programas ainda não tinham uma 'consciência educativa’. Então, temos duas categorias evoluindo: de um lado, há os programas de auditório, que vêm do circo e são mais fáceis de produzir e lucrativos para a emissora; de outro lado, os de núcleo dramático, mas com vários quadros e a idéia de que deve haver variedade, ser uma revista colorida. Se olharmos o que se fazia há 50 anos e agora, só melhorou a tecnologia, mas a TV continua oferecendo o tripé novela, jornal e seriado/auditório. Os programas infantis seguem essa tendência.

Qual o papel da TV na educação da criança?
A TV, para as crianças, assim como para a sociedade, tem papel preponderante como teria qualquer instrumento tecnológico. Mas o mais importante é a escola e a família, e temos tanta responsabilidade sobre a TV quanto na escolha da escola ou da convivência familiar das crianças. Daí o problema de se colocar a TV de lado como se tivesse de se auto-regular. As crianças hoje se apropriam do mundo através da mídia e da TV, e não há um professor que a ajude a decifrar esse mundo.

Em que teorias pedagógicas se apóiam os programas infantis das emissoras comerciais e educativas?
Não há teorias, só paradigmas. O processo desde o início se dividiu em dois. Temos o educador, que tem grande resistência à TV e a vê como vilã da educação. Por outro lado, temos os comunicadores, que olham os profissionais da educação de nariz torcido, porque acham que vão exigir muito conteúdo. Aí de alguns anos para cá houve a união entre educador e comunicador, e as pessoas repensaram essa TV. Foi quando surgiram programas como Castelo Rá-Tim-Bum, na TV Cultura. O Vila Sésamo já fazia isso, mas era uma exceção. Hoje não se imagina fazer um infantil sem chamar um educador. Mas são dois campos isolados e há falta de conhecimento dos educadores sobre o que é TV. As escolas de formação de professores não têm disciplina como mídia e educação.

No prefácio de seu livro, Gabriel Priolli escreve que ao “desmistificar” conceitos como TV e criança, o senhor enriquece um debate que peca pelo maniqueísmo. Como seria isso?
Principalmente no Brasil, quando houve desenvolvimento da TV, o modelo adotado foi o norte-americano, em que há hegemonia da TV comercial e marginalmente ficava a TV educativa. O recado é que o que assisto na TV é comercial, frugal, superficial, mandado porque os anunciantes estão pagando. Não é o lugar em que vou me educar, isso é na escola e na TV educativa ou em algum programa auto-intitulado educativo, como os Telecursos. Para fortalecer esse modelo “marginal” educativo, ele não pode ser comercializado. Educação é algo intocável, que não pode ser vendido. E comunicação é entretenimento. A contradição está no fato de ser este um modelo positivista, baseado na diferença de classes, no qual o que é pago é bom, o que não é pago é público. São paradigmas difíceis de quebrar.

Quais as incoerências entre discurso e prática, ou, melhor dizendo, por que os produtores dos títulos “educativos” negam as interferências do mercado e, ao mesmo tempo, têm de se curvar à publicidade comercial?
Devemos parar de pensar que dinheiro é algo sujo, que corrompe. Devemos pensar que o dinheiro é parceiro e aí fazermos as coisas em conjunto. As boas ONGs trabalham sob essa perspectiva, de desenvolver projetos importantes que usam tempo e profissionais de quem tem recursos. Isso é processo de negociação em que alguém tem de abrir mão. Abrir mão não significa se curvar ao capital. É claro que se o patrocinador for um pecuarista e vetar um programa que fale contra o leite, por exemplo, o produtor vai ter de procurar outro parceiro. É tudo negociação.

Você estudou dois casos “exemplares”, Castelo Rá- Tim-Bum, da TV Cultura, e TV Xuxa, da Globo. Quais as semelhanças e diferenças entre eles?
São dois modelos distintos, o de série dramática e o da apresentadora. Castelo é uma finalização, o ápice do modelo dramático dentro de uma emissora educativa, que fez a TV Cultura sair do traço de audiência e ganhar projeção nacional. Traz uma série de experimentações do núcleo dramático e provocou essa quebra de paradigmas entre educadores e comunicadores. Vem de uma sequência de bons programas que a Cultura fez, como Bambalalão e X-Tudo, que desenvolveram a capacidade de se comunicar com público de maneira lúdica e educativa. Um ápice que não se repetiu mais. O TV Xuxa da Globo também é o ápice de um modelo, que vem lá do palhaço Carequinha até o ápice das louras apresentando infantis.

A que conclusão chegou?
Chegamos à definição do que é um programa infantil. O Castelo, feito e pensado por educadores, realmente tem o potencial de ser muito mais educativo do que o TV Xuxa, mas nem sempre o será. É feito para quem já é iniciado na educação, porque nem abre nem fecha uma questão. Por exemplo, ao tratar de higiene, não há um personagem falando com o telespectador sobre a importância de tomar banho. O telespectador deve conquistar o conhecimento, chegar a essa conclusão sozinho, e isso só funciona para a criança que tem algum nível de educação e consegue fazer abstrações. Talvez a criança de algum lugar mais pobre cante a musiquinha do banho, mas não vai fazer com que isso tenha valor na vida dela, será apenas entretenimento desassociado. Nesse sentido, em alguns casos, a Xuxa olhando nos olhos e dizendo que o baixinho tem de tomar banho, a mensagem direta de uma figura carismática, será mais efetiva para esse telespectador específico.

No cerne da discussão está a relação entre educação e diversão. Qual é o ponto de equilíbrio?
Entretenimento não é pecado. A criança aprende muito mais quando está se divertindo, isso é fato e mostra o quanto uma coisa está ligada a outra. Não há esse ponto de equilíbrio, vai depender de onde a criança está inserida. Um garoto com TV paga e vários canais pode ter acesso ao conhecimento e fazer ligações com o que aprendeu na escola. Mas mesmo essa criança rica, com toda disponibilidade, pode não ter educação na TV se o pai não convive com ela na frente do aparelho, ou se eles não vão brincar juntos. Se a criança for pobre, a inversão é a mesma. A conclusão do livro é que não dá para ficar nessa dicotomia, depende de quem assiste e da interação entre o telespectador e o mundo. Infelizmente ficamos discutindo os ícones, TV e criança, enquanto o mais importante é tudo que está em volta, qual o contexto, a intenção da produção, o que a criança está fazendo na frente da TV e qual o controle da sociedade sobre a programação. É mais fácil xingar a emissora ou botar a criança como coitadinha. A solução é discutir muito o assunto e levar as conclusões para as escolas e formadores de professores, deixar de ter medo de debater a TV tanto com os profissionais quanto com as crianças.

* texto de marcelo fiuza, do jornal o tempo, publicado originalmente no site da editora autêntica

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Nova Orleans invadida por sapos e princesas

As novidades sobre o mais novo conto de fadas Disney, A Princesa e o Sapo continuam a serem reveladas. A última delas foi em relação ao interprete da canção dos créditos do animado. A Disney contratou por esses dias De o cantor e compositor Ne-Yo para escrever e cantar a canção dos créditos finais do animado, que ainda não teve seu nome revelada. O estúdio também divulgou novo pôster (ao lado) e imagens do desenho, além de colocar no ar um site oficial que traz diversas informações sobre a pré-estréia do animado nos Estados Unidos.

Ambientado na lendária cidade de Nova Orleans, berço do jazz, o longa de animação apresenta a mais nova princesa da Disney, Tiana, uma jovem afro-americana que vive no encantador bairro francês com seus pais. De família pobre, a menina trabalha duro como garçonete para um dia abrir seu próprio restaurante. Enquanto isso, o príncipe Naveen está chegando à cidade em busca de diversão. Durante um baile, ele encontra Tiana e acha que ela é uma princesa de verdade. Porém, acaba sendo transformado em sapo por um feiticeiro. A partir daí, muita confusão acontece, com Tiana virando uma rã e os dois se embrenhando pelos pântanos da Louisiana a fim de encontrar uma velha feiticeira para que tudo volte ao normal.

Baseado em uma história original escrita pelos aclamados cineastas John Musker e Ron Clements (de A Pequena Sereia, Aladdin e Hércules), que também assinam a direção do filme, o animado marca o retorno das produções Disney utilizando a técnica clássica de animação em tradicional, em 2D. O conto de fadas ainda apresenta a primeira princesa negra do estúdio. O vencedor do Oscar Randy Newman (de Toy Story, Vida de Inseto, Monstros S.A. e Carros) está a cargo da trilha sonora.

A Princesa e o Sapo será lançado nos cinemas nacionais em dezembro de 2009. Confira as imagens abaixo.


(shirley paradizo)

Carros 2 ganha sinopse

Aos fãs do carrinho de corrida McQueen uma boa notícia. John Lasseter finalmente revelou a trama de Carros 2, dirigido por Brad Lewis (produtor de Ratattoulie). Na história, Relâmpago McQueen viaja pelo mundo na Corrida dos Campeões, passando por cinco países (Japão, Alemanha, Itália, França e Inglaterra). A grande surpresa é que o novo filme dará um grande destaque ao simpático Mate, que vai se envolver em uma subtrama “hitchcockiana” de mistério e espionagem - quando será incluído um novo personagem, o investigador Finn McMissile.

Todo o elenco do filme original está de volta (com exceção, é claro, de Paul Newman, que interpretou Doc Hudson, mas faleceu no ano passado). Ainda não se sabe qual será a voz de Finn McMissile, mas há rumores que indicam ele será dublado por um dos atores que deram vida ao famoso espião James Bond.

Carros 2 está previsto para estrear apenas em 2011.

(shirley paradizo)

Estante: Dicas diversas

Mergulha, Olly, Mergulha! (R$ 39,90, Universal) - o DVD duplo traz 13 episódios que acompanham as aventuras de Olly, um submarino amarelo que esbanja simpatia e disposição. Ao lado de Beth, sua melhor amiga, ele explora o espetacular universo das profundezas do mar. Sob a supervisão do jovem mergulhador Diver Doug, esses graciosos personagens aprendem muito sobre o lugar onde vivem. Mas Olly e Beth não estão sozinhos. Enquanto realizam as suas explorações marítimas dentro da Unidade de Pesquisas Marítimas (SURF, sigla em inglês), eles conhecem os mais diferentes habitantes do fundo do mar, como o engraçadíssimo Skid, o veículo de transporte de Doug, Brandt, um caranguejo muito mal-humorado que pensa como um pirata, e Ranger, um pequenino cavalo-marinho que se veste como um cowboy. Uma, Shankley, Suzy e Luseal são os outros seres que compõem a trupe de amigos de Olly.

Meu Amigo Dragão (R$ 29,90, Disney) - mesclando personagens a animação, o clássico é uma aventura mágica repleta de amizade e diversão. No começo do século 20, na Nova Inglaterra, um menino de 9 anos chamado Pete foge dos violentos pais adotivos. Ele só tem um amigo: o dragão Elliott, que ajuda Pete em sua fuga. A dupla vai parar em uma pequena cidade e passa a viver com Nora e o pai dela, Lampie, zelador do farol local. O problema é que o dragão Elliott é descoberto por um médico sem escrúpulos que quer usar o bichão com propósitos medicinais. Pela primeira vez em DVD, o animado chega com muitos extras e trilha sonora memorável, incluisive Candle on the Water, indicada ao Oscar 1997 de Melhor Canção.

Uma Família da Pesada - 8a. temporada (R$ 79,90, Fox) - chega ao DVD mais uma temporada da hilária família Griffin. Perter, Lois, Chris, Brian e o bebê Stewie. A confusão já começa logo no primeiro episódio, Love Blactually, quando Brian começa a sair com Carolyn, que o convida para ir à sua casa. Porém, Stewie o interrompe e previne sobre o mal de apressar o relacionamento. Brian concorda e em apenas três semanas resolve que chegou o momento de consumar a relação. No entanto, ao chegar ao apartamento de Carolyn, ele a encontra na cama com Cleveland. Julgando que Brian não queria mais estar ao seu lado por conta do seu afastamento, Carolyn pensou que ele não tinha mais interesse por ela. Mas Brian está disposto a reverter a situação.

(shirley paradizo)

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Fantasmas natalinos e novo pôster

A Disney divulgou por esses dias novo pôster de Os Fantasmas de Scrooge (A Christmas Carol), com ênfase no protagonista. Baseado no clássico conto de Charles Dickens, o filme tem direção de Robert Zemeckis e foi realizado na tecnologia de captura de movimentos - a mesma que o diretor usou em O Expresso Polar e A Lenda de Beowulf.

Na história, o velho e rabugento Ebenezer Scrooge (Jim Carrey) começa as férias natalinas como de costume: mesquinho e de mau-humor, berrando com seu fiel assistente (Gary Oldman, de Batman - O Cavaleiro das Trevas) e com seu alegre sobrinho (Colin Firth, de Mamma Mia!). Quando os fantasmas dos Natais Passado, Presente e Futuro, o levam a uma surpreendente jornada e lhes mostram que ele está desperdiçando sua vida, Scrooge reluta em encarar os fatos. Mas ainda há tempo para mudar. Para isso, ele deve abrir seu coração e desfazer anos de maldades antes que seja tarde demais.

Além de interpretar o protagonista, o comediante Jim Carrey encarna outros papéis coadjuvantes como os fantasmas do Natal Presente, Passado e Futuro. Gary Oldman também interpreta outros personagens da trama, sendo visto como Jacob Marley (falecido sócio do avarento Ebenezer Scrooge), Bob Cratchit (o secretário do protagonista) e Tim (um garoto com problema nas pernas e um dos quatro filhos de Cratchit). No elenco estão ainda Bob Hoskins (de Hollywoodland - Os Bastidores da Fama), Cary Elwes (de Edison - Poder e Corrupção) e Robin Virginia Gayle Wright (de Intrigas de Estado).

Vale lembrar que essa história já foi diversas vezes contada em filmes, desenhos e até em novelas. A própria Disney já adaptou a obra em 1983, em um curta-metragem de animação protagonizado por Mickey Mouse e seus amigos. Os Fantasmas de Scrooge está agendado para chegar nos cinemas de todo o Brasil no dia 06 de novembro de 2009, com cópias em Disney Digital 3D.

(shirley paradizo)

Muppets em novo filme

Esta não é tão nova, mas vale registrar aqui. Durante a D23 Expo, que ocorreu entre em setembro, o presidente do Disney Studios Dick Cook anunciou oficialmente que os bonecos Muppets vão protagonizar, em breve, um novo filme. Batizado de The Cheapest Muppet Movie Ever Made, o longa-metragem dirigido por Jason Segel terá como foco o personagem Gonzo. Na história, ele tenta dirigir um filme em Hollywood e acaba rapidamente estourando o seu orçamento do projeto.

Os bonecos os Muppets foram criados por Jim Henson e sua equipe entre 1976 a 1981 para o The Muppet Show, um programa de televisão infanto-juvenil, produzido por Jim Henson e sua equipe entre 1976 a 1981. A atração teve cinco temporadas, sem contar com dois episódios especiais piloto (The Muppets Valentine Show e The Muppet Show: Sex and Violence), um especial de natal para a televisão (A Muppet Family Christmas). A série ainda rendeu outros longa-metragens e um desenho animado derivado, em 1984. Muppets Babies mostra a infância dos personagens, mantendo o mesmo ritmo agitado do programa.

Já a D23 Expo foi o primeiro grande evento organizado pela Disney para promover seus produtos, divulgar novos projetos, exibir prévias de filmes. Enfim, uma grande festa para a empresa e seus fãs. O evento aconteceu entre de 10 a 13 de setembro passado no Anaheim Convention Center, vizinho à Disneylândia. Como curiosidade, o número 23 é uma alusão ao ano em que Walt Disney fundou sua empresa de animação na Califórnia.

(shirley paradizo)

A guerra nas estrelas continnua

De acordo com o site Omelete, George Lucas e Dave Filoni, produtor executivo e diretor da série de televisão Star Wars: The Clone Wars, já estão discutindo a segunda temporada da série animada. Ambientada entre os Episódios II e III da saga cinematográfica, o desenho acompanha a exaustiva batalha dos Jedis pela paz na galáxia. Sem fim em vista, a guerra começa a cobrar seu preço.

Na novo ano, a entrada dos caçadores de recompensa na trama vai agitar bastante o mundo dos Jedis e seus inimigos. "Eles são caras ruins que não seguem qualquer regra. Já tivemos um gostinho disso no final da temporada anterior com Cad Bane, mas veremos muito mais agora. Eles são bastante experientes em acabar com guerreiros Jedi - são muito bons no que fazem. As coisas vão ficar feias", conta Filoni.

Star Wars: The Clone Wars - Rise of the Bounty Hunters terá 22 episódios, com um especial de estreia de uma hora de duração, que será exibido nos EUA em 2 de outubro.

(shirley paradizo)

Destaques da semana (de 28.09 a 05.10)

(legenda: cocoricó)

Pesca Mortal (dia 28, segunda, 20h, TV Cultura, inédito) - a parceria entre o canal Discobery e a TV Cultura rendeu o Mundo Cultura Discovery. No ar desde 20 de setembro, o programa leva aos telespectatores algumas das produções de maior sucesso do Discovery. Nesta segunda, a atração é Pesca Mortal, em um episódio de tirar o fôlego. Em Um Brinde à Pesca, as embarcações chegam a seus pontos de pesca do mar de Bering e começam a caçada pelos maiores caranguejos do mundo.

A Rã Desaparecida (dia 28, segunda, 22h, Animal Planet, inédito) - Neste programa, Jeff Corwin tenta desvendar o fenômeno responsável pela drástica redução da população de rãs do planeta.

Tempo Real – Desaparecidos (dia 28, segunda, 22h30, The History Channel) - o programa focaliza o problema das pessoas desaparecidas na Colômbia e na Argentina. Com mais de 30 mil desaparecidos nos últimos 30 anos, a Colômbia é um dos países recordistas nesse tipo de problema. O apresentador Hollman Morris conversa com as famílias da vítimas, muitos deles opositores políticos do governo nas décadas de 1970 e 1980. O jornalista também entrevista Ever Veloza, um dos ex-chefes paramilitares, que admite ter cometido erros. Na Argentina, Morris conversa com Hebe de Bonafini, diretora do grupo Mães da Praça de Mayo, que agora procuram seus netos, filhos dos desaparecidos.

Lie to Me (dia 29, terça, 22h, Fox, estreia) - na nova série, dr. Cal Lightman (Tim Roth) consegue perceber o quanto há de verdade no que alguém diz apenas observando a linguagem não-verbal. Quando alguém encolhe os ombros, gira a mão ou levanta o lábio superior, Lightman sabe que a pessoa está mentindo. Dos produtores-executivos de 24 Horas e Arrested Development e do roteirista Samuel Baum (de The Evidence), a série é inspirada nas descobertas científicas do Dr. Paul Ekman, um especialista na vida real, capaz de perceber no rosto, no corpo e na voz humana detalhes que denunciam tanto a mentira como a verdade nas investigações criminais.

Subterrâneos Maçônicos (dia 30, quarta, 19h, The History Channel) - o novo livro de Dan Brown vai garantir interesse renovado sobre a maçonaria. A série Cidades Ocultas pega carona na nova onda e mostra lugares subterrâneos construídos por maçons.

Naruto, o Filme: Conflito Ninja no País da Neve (dia 01, quinta, 20h, Cartoon Network, estreia) - nesta primeira incursão cinematográfica de Naruto e cia., a equipe do Time 7 recebe uma delirante missão: proteger Yukie Fujikaze, bela atriz de um filme ao qual os alunos acabaram de assistir. O que Naruto, Sasuke e Sakura não imaginam é que Yukie é realmente uma Princesa da Neve, exatamente como a personagem que interpreta na telona (leia mais sobre Naruto aqui).

A Vida através das Lentes (dia 01, quinta, 22h, Cinemax) - documentário fala sobre a vida de Annie Leibovitz, uma das fotógrafas mais respeitadas do mundo por seus retratos artísticos de celebridades, mostrando seus trabalhos em revistas como Rolling Stones e Vanity Fair, além de sua vida familiar e pessoal.

Animania (dia 02, sexta, 19h30, TV Cultura, inédito) - neste episódio, o boneco Zeca 2D descobre que Seth não pagou a conta de luz do estúdio, que está prestes a ser cortada. Para não ficar sem trabalhar, ele resolve improvisar e aprender light Painting com os animadores Pedro Luá e Ana Lúcia Godoy, além dos filmes animados pelos dois para a série É Só Começar, exibidos na TV Futura. No Córtex, uma animação com luzes produzida para o Festival de Vitória, realizada por Rosária e Zé Brandão. Zeca bate um papo com Marcos Camargo, que mostra seu filme Coda, uma bela experiência em pixelation com bailarinas e luzes de lanterna. No Catavento, o grupo japonês Tochka, com as performances iluminadas do Pikaka (leia mais aqui).

La Nouba (dia 02, sexta, 20h, A&E) - canal apresenta um dos espetáculos mais alucinantes da trupe do Cirque du Soleil, um ousado show circense no qual as mais incríveis façanhas se tornam realidade. E como se não bastasse, em seus atos também se mesclam arte e teatro.

Boombox All Acess com o grupo Paramore (dia 02, sextam 21h, Boomerang, inédito) - por baixo de seus cabelos cor de laranja, a vocalista Hayley Williams incorpora uma mistura de rebeldia e feminilidade que conquistou adolescentes em todo o mundo. Acompanhe os bastidores da mais turnê do Paramore, grupo no qual Hayley e os parceiros Josh Farro (guitarra principal), Taylor York (guitarra), Jeremy Davis (baixo) e Zac Farro (bateria) fazem um som descrito pelo jornalista Joshua Martin como “anti-Avril Lavigne”.

Rebobine por Favor (dia 02, sexta, 22h, Telecine Premium) - no cenário de transição entre o VHS e o DVD, que matou muitas locadoras de bairro, Jack Black e Mos Def resolvem refilmar todos os VHS de uma locadora com eles próprios e a vizinhança como atores e produtores.

Cocoricó (dia 03, sábados e domingos, 9h45, 15h45, 20h15 e 03h45, TV Rá Tim Bum, estreia) - na nova temporada, Júlio e sua turma saem da fazenda para se aventurar na cidade grande. O superesperto garoto Júlio, as engraçadas galinhas Lilica e Zazá e o gentil cavalo Alípio vão viver aventuras na metróple. A turminha do celeiro vai ficar hospedada no apartamento do primo João, que na temporada anterior esteve de folga no paiol.

The Cleaner (dia 03, sábado, a partir das 14h, A&E) - canal exibe quatro episódios na sequencia da segunda temporada da série na qual Benjamin Bratt interpreta William Banks, um homem que luta para superar seus vícios e ajudar outras pessoas mergulhadas no abismo do álcool, das drogas, das apostas e do sexo desenfreado. Para consegui-lo, terá que enfrentá-los com suas próprias fragilidades.

24 Horas (dia 03, sábado, 15h, Fox) - o canal Fox apresenta os últimos episódios da sétima temporada da série estrelada por Kiefer Sutherland. Com a vida da sua filha em perigo, Jack, já em estado terminal, é forçado a sequestrar Renee e Tony. Kim suspeita cada vez mais das coisas no aeroporto. Uma investigação federal sobre a morte de Jonas Hodges aumenta as tensões na Casa Branca. Enquanto Jack, cada vez mais doente, tenta escapar dos seus sequestradores, a organização de Alan Wilson se levanta contra o FBI mais uma vez. Em outro lugar, Kim Bauer espera, nervosa, por notícias sobre seu pai. A situação na Casa Branca chega a um clímax.

Rock in Rio: Madri (dia 03, sábado, 18h, A&E) - veja como a Espanha se contagiou com o vibrante estilo carioca de curtir o rock e empolgue-se com a brilhante performance de Bob Dylan, Lenny Kravitz, Franz Ferdinand e os ecléticos mexicanos do Café Tacuba diante de um público entusiasta de 41 mil pessoas reunidas na primeira edição do Rock in Rio: Madri 2008.

Naked Brothers Band in Naked Idol (dia 03, sábado, 19h30, Nickelodeon, estreia) - no filme, Rosalinda volta aos Estados Unidos e recebe a visita de Michel (Jake Hertzog) – o pianista que a beijou durante sua viagem no cruzeiro. Nat fica morrendo de ciúmes e arma uma briga. Decepcionada com a atitude do namorado, Rosalinda decide terminar tudo e sai da banda. Enquanto isso, Alex entra em depressão. Será que esse é realmente o fim da Naked Brothers Band?

Sex and the City: O Filme (dia 03, sábado, 21h, HBO) - Carrie e suas amigas voltam para mais aventuras em Nova York, incluindo o pedido de casamento do belo Mr. Big, muitas grifes e algumas mudanças. O quarteto continua unido, o que na vida real é muito difícil – atire a primeira pedra quem não viu uma amiga sumir logo depois do “estou namorando” ou do “vamos morar juntos” – todas mudaram um pouco, e Jennifer Hudson faz uma participação especial.

Caminhoneiros do Gelo (dia 03, sábado, 21h, The History Channel, estreia) - na terceira temporada da atração, os seis pilotos tem de transportar mais de 6 mil carregamentos em apenas 12 semanas. Para chegar ao seu destino, a estação de Deadhorse, no Alasca, eles terão de percorrer cerca de 670 quilômetros, sob condições extremas. No entanto, para evitar problemas, os distribuidores passarão a tarefa para os caminhoneiros mais experientes. Neste caso, Hugh "Urso Polar" Rowland e Alex Debogorski.

Os Invasores (dia 03, sábado, 21h, TCM, estreia) - seres de um planeta que à beira da extinção chegam à Terra para fazer dela seu novo lar. A série, exibida em 1966 e 1967, foi uma das primeiras do gênero de ficção científica paranóica, que inspiraria sucessos como Arquivo X. No elenco, Roy Thinnes, que interpreta o atribulado arquiteto David Vincent, que, certa noite, em uma rua deserta, testemunha o pouso de um disco voador, antecedendo uma invasão alienígena. A partir daí, ele começa sua busca pelos invasores, que adquiriram aspecto humano.

Max Payne (dia 03, sábado, 22h, Telecine Premium) - Mark Wahlberg é um ex-policial sem rumo que investiga obsessivamente quem matou sua familiar na história saída de um videogame.

As Canções que Mudaram o Mundo (dia 03, sábado, 23h, VH1) - o canal apresenta uma série de nove documentários que retratam com profundidade algumas canções que traduziram anseios de gerações, geraram fortes mudanças de comportamento e desse modo, porque não dizer, alteraram a história. Sempre contando detalhes até então desconhecidos sobre as canções e trazendo entrevistas marcantes. O single I Wanna Hold Your Hand apresentou os Beatles para os Estados Unidos em 1964 e mudou pra sempre como aquela geração encarava a música. Considerado um dos maiores singles de todos os tempos, a canção marcou a viagem dos quatros rapazes de Liverpool para a América, dando início à Beatlemania.

Hung (dia 03, sábado, 23h30, HBO, estreia) - a série usa de humor negro para contar a história de Ray Drecker (Thomas Jane), um lendário – e bem-dotado – ex-jogador de basquete juvenil que treina uma equipe de segunda divisão e utiliza seus atributos físicos para complementar sua renda, pagar dívidas e agradar seus filhos gêmeos adolescentes. Ao longo da série Ray descobre que não é fácil ser indecente.

Dia Mundial dos Animais (dia 04, domingo, das 7h às 11h, Cartoon Network) - canal apresenta maratona em homenagem aos bichos, exibindo episódios selecionados especialmente para a ocasião de Meu Amigo de Escola É um Macaco, Andy e seu Esquilo, Coragem, o Cão Covarde, Scooby-Doo entre outros. A comemoração continua com a estreia das séries Gui & Estopa no Fundo do Mar e Gui & Estopa em Bichos do Brasil (leia mais sobre a animação aqui). Misturando animação e imagens da natureza gravadas pelo cinegrafista Lawrence Wahba, as duas trazem curtas inéditos com os atrapalhados e divertidos cachorrinhos criados pela paulistana Mariana Caltabiano.

Max Steel (dia 04, domingo, das 11h às 17h, Cartoon Network) - canal apresenta os melhores episódios da série animada que acompanha Josh McGrath, um habilidoso praticante de esportes radicais. Mas ao tentar salvar a vida de seu pai adotivo, membro de uma secreta agência governamental, ele acaba ficando entre a vida e morte. Salvo pela chamada energia transfásica, Josh ganha superpoderes e se transforma em Max Steel, um agente secreto que conta com um moderno arsenal hi-teche veículos para todos os tipos de missão. A maratona ainda marca a estreia do longa-metragem Max Steel vs. a Ameaça Mutante.

True Blood (dia 04, domingo, 20h50, HBO) - canal exibe úlitmo episódio da segunda temporada da série. O caos em Bon Temps aumenta. Maryann se prepara para seu último sacrifício e recruta Sookie para ficar ao seu lado durante suas bodas de sangue. Enquanto isso, Sophie-Anne – a rainha dos vampiros – avisa Eric para controlar a curiosidade de Bill, e Jason conduz Andy a um abismo heróico. Pensando sobre qual deveria ser seu movimento final para salvar Sookie e a cidade, Sam se vê obrigado a confiar em um aliado inesperado. Serão Sookie Sam e Bill a última linha de defesa contra os planos diábolicos de Maryaan?

KC & Sunshine Band (dia 04, domingo, 22h, A&E, estreia) - acompanhe a trajetória da banda dos anos 80 ao som de clássicos como That’s the Way I Like It, Shake your Booty e Please don’t Go.

Filhos do Carnaval (dia 04, domingo, 22h, HBO, estreia) - nesta segunda temporada, as mulheres assumem um papel importante. Ana Cristina (Mariana Lima), esposa de Claudio, Gloria (Shirley Cruz), ex-esposa de Brown e Rosana (Roberta Rodrigues), esposa de Nilo, protagonizam situações de traição, mentiras e vingança. Um destino trágico e um futuro pouco promissor aguarda os irmãos Gebara na nova temporada.

Histórias do Crime (dia 05, segunda, 21h, TCM, estreia) - o tenente Mike Torello (interpretado por Dennis Farina) é um veterano da polícia de Chicago com 18 anos de serviço, mas fala – e, muitas vezes, se comporta – como um gângster. Seu principal adversário é Ray Luca (Anthony Denison), um aspirante a mafioso em busca do grande golpe que o coloque à frente do sindicato do crime. Para capturar Luca, Torello mente, sequestra suspeitos, intimida testemunhas e, em geral, atua como os criminosos que costuma prender. A série, que estreou originalmente em 1986, foi fonte de inspiração para filmes como Cassino e séries como Os Sopranos.

Maratona James Bond (dia 05, segunda, 22h, Space) - canal exibe maratona com os quatro filmes de James Bond estrelados Pierce Brosnan, do dia 5 ao dia 8, sempre às 22h, e também no sábado, 17, e no domingo, 18, a partir das 13h.

Trust Me (dia 05, segunda, 21h, I.Sat, estreia) - a comédia dramática mostra a vida profissional e pessoal de Conner e Mason, dois funcionários da agência de publicidade Rothman, Greene & Moore, de Chicago. Há anos eles formam uma dupla inseparável, mas a harmonia entre os dois corre perigo quando apenas um deles é promovido. No elenco Tom Cavanagh e Eric McCormack (de Will & Grace), que fazem uma dupla neurótica muito engraçada. A série também conta com Griffin Dunne (de Depois de Horas) e Monica Potter (de Justiça Sem Limites).

(shirley paradizo)

Literatura: Charlie e Lola

Há 10 anos, a inglesa Lauren Child estreava nas livrarias com as histórias da adorável menina de 7 anos, Clarice Bean (aqui publicado pela Editora Ática). Tempos depois, a escritora e artista plástica ganhou o mundo com as histórias dos irmãos Charlie e Lola, que ficaram ainda mais conhecidos depois de virarem animação de TV. E se transformaram, também, em versão para os palcos. Não é preciso ficar muito tempo diante dos personagens de Lauren para entender o sucesso. Eles "falam" com o leitor.

Já responsável por outras traduções da autora no Brasil, a Editora Ática lança agora versões das histórias em livros-brinquedo (imagem ao lado), além de coleções em papel cartonado com os temas de opostos, animais, cores e números. E, para completar, Clarice Bean também tem novidade: Meu tio é Divertiodo (sim, é assim que se escreve!) chega ao Brasil em setembro. Confira a entrevista exclusiva que Lauren concedeu à revista Crescer.

A personagem Clarice Bean chegou ao mundo antes de Charlie e Lola. Como tudo aconteceu?
Clarice Bean - Sou Eu foi meu primeiro livro ilustrado. Ela é uma garota de 7 anos que conversa diretamente com o leitor, contando tudo sobre sua família. Eu escrevi isso há 15 anos e fiquei cinco anos à procura de alguém que o publicasse. E finalmente chegou às livrarias em 1999. Este ano celebramos 10 anos de aniversário. É o livro do qual mais me orgulho.

Quem inspirou você a escrever Charlie e Lola?
Lola foi baseada em uma menina de 4 anos que eu vi uma vez enquanto fazia uma viagem de trem. Eu dei a Lola um irmão de 7 anos porque pensei que seria interessante escrever sobre o relacionamento de irmãos e como eles lidam com seus problemas de todos os dias. Esses pequenos assuntos podem parecer muito grandes quando você é criança...

Na sua opinião, por que Charlie e Lola são tão adoráveis?
Isso é algo que eu realmente não posso escrever, mas espero que seja porque o diálogo deles é convincente e eles soam como se fossem crianças reais.

Você acredita que Charlie e Lola são uma espécie de 'voz das crianças'? Quero dizer, eles expressam os sentimentos delas?
É o que tento fazer, então espero que sim.

De onde vem a inspiração para as histórias?
Das memórias, de converser com as pessoas, de assistir o que acontece em volta de mim e da minha imaginação.

Como você ilustra? É verdade que usa uma peça de pano que era sua quando criança?
Eu desenho primeiro e depois corto os tecidos, revistas, papéis e fotografias. Xeroquei um pedaço do vestido que minha mãe fez para mim quando eu era bebê e usei para fazer o pijama de Lola em Eu não vou dormir e não irei para a cama.

Quando você imagina uma história, o que vem primeiro: o texto ou o desenho?
As palavras vêm primeiro e eu imagino as ilustrações pelos olhos da minha mente.

O que você acha destes tantos produtos que surgem a partir dos livros de Charlie e Lola, como os programas de TV e os brinquedos?
Eu escrevi apenas três livros ilustrados de Charlie e Lola (eu planejo escrever um quarto este ano!) e oito livros do tipo cartonados. Então, algumas vezes é estranho ver tantas coisas de Charlie e Lola em todos os lugares. Há muitos, muitos programas relacionados aos livros que eu supervisiono mas, claro, não escrevo ou ilustro. Trabalho duro com o editor destes livros para ter certeza de que eles sejam bem feitos e que fiquem bonitos. Estou feliz com a maioria dos produtos, mas há sempre algumas coisas que eu não sinto que ficou tão bom. Acho o programa de TV muito bom e passei vários anos trabalhando com a equipe de produção e tenho muito orgulho disto.

O que Charlie, Lola e Clarice têm em comum?
Charlie e Clarice falam com os leitores. Eles, espero, sentem como se fossem crianças reais e falam de coisas que as todas as crianças do mundo possam se identificar.

O que você ama mais em cada um deles?
Clarice é a minha favorita por que ela é alguém que tem um forte senso de si e é interessada nas coisas que acontecem ao redor dela, ela tem um ótimo jeito de lidar com a curiosidade e entusiasmo pela vida. Em Charlie e Lola eu amo suas habilidades para viajar pela imaginação, um ingrediente-chave para ser criança.

* entrevista realizada por cristiane rogerio e publicada originalmente no site da revista crescer

domingo, 27 de setembro de 2009

Mais um selinho...

Por esses dias, o Mundo Animado recebeu mais selinho. O mimo veio do amigo J. Júnior, do Anexo Secreto, um endereço bem bacana para os fãs de cinema e entretenimento. Muito obrigada pela lembrança! Como de praxe, o selinho vem acompanhado de alugmas regrinhas. Aqui vão elas:

1. Exibir a imagem do selo "olha que blog maneiro"

2. Postar o link da pessoa que lhe deu o selinho

3. Indicar outros endereços bacanas

4. Avisar os amigos indicados

5. Publicar as regras

6. Conferir se os blogs indicados repassaram os selos e as regras.

Agora para quem repasso o selinho

MeniNice, da Nice

AnjoGatos, da Ana

La Maison D'ávila, da Regina D'Ávila

Pennsando Som e Imagem, do Paulo Roberto Montanaro

Re-Novidade, do Everton Vidal

Aqui Só Entram Gatos, da Angelique

Black Cat, da Luzinha


Diários da Bicicleta, da Silvana Tavano

(shirley paradizo)

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Animando o dia

Os fãs de animação não podem perder mais um episódio de Animania, hoje, a partir das 19h30, na TV Cultura. No programa, o esperto garoto Zeca 2D desconfia que o Saci Pererê está à solto no estúdio. Seu companheiro de aventuras, o ratinho Seth, decide investigar o caso e caçar o personagem. Via web, eles passeiam por vários filmes animados com o pestinha, como Caçadores de Saci, de Sofia Frederico; Super-tição, de Still; Saci, de Dedé e Leleu; e Duelo de Sacis, de Paulo Munhoz. Ainda nesta edição, Zeca recebe o animador Humberto Avelar, que mostra como um Saci animado anda. Ele também apresenta seu curta-metragem O Saci, da série Juro que Vi, da Multirio.

No ar desde o dia 18, a atração, com meia hora de duração, tem direção e concepção de Quiá Rodrigues, cineasta, ator e também manipulador de bonecos para teatro, TV e cinema. O Animania é apresentado pelo esperto garoto Zeca 2D - um boneco com tamanho e trejeitos de ser humano, manipulado por três pessoas, uma delas o próprio diretor: “Precisamos ter três manipuladores para o Zeca, assim ele fica mais dinâmico quando percorre o cenário”, conta o criador. Zeca tem ainda um companheiro bastante atrapalhado e xereta, o ratinho Seth, que leva o lado descontraído da atração. “O Seth já existia em nossa logomarca e resolvemos dar vida a ele. O personagem é todo atrapalhado, mas também louco por animação”.

O cenário é o quarto de Zeca e é lá que ele recebe seus convidados para discutir sobre o universo da animação: novas tecnologias, entrevistas, notícias e bastidores dessa mania global. O programa também exibe ainda curtas-metragens, vídeos experimentais, clipes musicais e comerciais, tudo em animação, além de dar dicas de sites, livros e DVDs animados.

Para mostrar tudo o que pretende nesse mundo animado, o Animania, exibido com sucesso há dois anos e meio na TV Brasil, é dividido em quatro quadros: Fábrica Ótica (sequências de animações em brinquedos óticos); Catavento (quando o garoto Zeca 2D visita estúdios de animação, conversa com diretores internacionais e nacionais e exibe filmes); Via Web (investigação de tudo sobre animação na Web); Córtex (exibição de filmes clássicos e antigos de animação); e o Dica Animada (parte que dá dicas de desenhos e seriados animados). Vale dar uma conferida.

Exibição: dia 25, sextas, 19h30, TV Cultura

(shirley paradizo)

Cinema: Pequenos invasores

Divertir as crianças, sem esquecer dos adolescentes e nem menosprezar os adultos. Esta é a fórmula de sucesso utilizada no filme Pequenos Ivasores, uma simpática aventura infanto-juvenil com um bem-vindo sabor de bolinho de chuva com canela. Sem pretensões e totalmente descompromissado, o filme fala de uma família que vai passar o feriado de 4 de julho em uma casa no interior. O lugar, uma bela mansão à beira de um lago, faz a alegria dos adultos à procura de descanso e pescaria, e o desespero das crianças e adolescentes, que prefeririam algo mais agitado ou “conectado”.

A confusão começa quando o sótão da casa é invadido por quatro pequenos alienígenas que ameaçam dominar a Terra. A partir daí, os universos se dividem: no andar de cima, os menores tentam salvar o planeta, sem que os maiores do andar de baixo sequer se deem conta da situação. Uma interessante analogia sobre o mundo da realidade e o da imaginação.

Mesmo sem ser genial, o filme consegue um bom equilíbrio entre comédia e aventura, satisfazendo o senso de humor de grandes e pequenos. Desde citações sobre “a péssima música dos anos 80 que derreteu os cérebros dos adultos”, até um telefone que as crianças não sabem usar porque é de disco, e não de teclas, a produção traz momentos de um humor leve, inspirado e até certo ponto um pouco ingênuo. Como, por exemplo, salvar a Terra dos alienígenas em pleno feriado de 4 de julho, brincando com Independence Day.

Talvez tenha sido justamente esta saudável ingenuidade que tenha transformado o filme num fracasso no mercado norte-americano, onde faturou praticamente a metade do seu custo de US$ 54 milhões. Sem problemas. Sempre haverá o lançamento em DVD... e bolinhos de chuva com canela.


Exibição: dia 25, sexta, nos cinemas nacionais

Classificação: Livre

(celso sabadin*)

* o multimídia e querido amigo celso sabadin é autor do livro autor do livro vocês ainda não ouviram nada – a barulhenta história do cinema mudo e jornalista especializado em crítica cinematográfica desde 1980. Atualmente, dirige o planeta tela (um espaço cultural que promove cursos, palestras e mostras de cinema) e é crítico de cinema da TV gazeta e da rádio bandeirantes.

Smurfs agora nos cinemas

O primeiro cartaz oficial da adaptação de Smurfs para as telonas caiu na internet. Misto de animação e live-action, com lançamento 3D e convencional, o filme com roteiro de David Stem e David Weiss (a mesma dupla que assina Shrek 2 e 3) e direção de Raja Gosnell (de Scooby Doo 1 e 2) vai contar a origem dos gnomos azuis e do mago Gargamel, bem como sua obsessão com a Sopa dos Smurfs e os segredos de seu castelo. À procura por dois atores para viver os irmãos Sophie e Sam, que fazem parte do elenco real, ainda está em andamento. Sophie será uma garota com bastante imaginação e rejeitada por outras crianças, e Sam passa por uma fase difícil e fica trancado no quarto jogando videogame. O roteiro deve ainda mostrar os pequenos Smurfs chegando ao mundo real e encontrando esses personagens. dirige.

Os Smurfs foram criados, em 1958, pelo cartunista belga Pierre "Peyo" Culliford (1928-1992). Em 1981, a NBC lançou a série de animação dos personagens, que teve nada menos que 421 episódios produzidos, além de muitos prêmios Emmy faturados. Desenhados de maneira simples, os Smurfs - que têm a altura de "apenas três maçãs", pele azul, calças e chapéus brancos, estão entre os personagens belgas mais famosos do mundo.

O universo do desenho é ambientado em uma vila de cogumelos coloridos e traz mais de 100 indivíduos, a maioria deles do sexo masculino (exceto a Smurfete), e com o mesmo nome Smurf. O que distingue um do outro é o "apelido", como Smurf Preguiçoso, Smurf Inteligente, Papai Smurf... Sucesso absoluto na telinha, o animado da Hanna-Barbera ainda hoje é exibido em quase 30 países.

O fenômeno Smurf também gerou um enorme império de merchandising, com produtos que vão de bonecos a jogos, brinquedos e vídeos. Ainda não há data prevista para o início da produção nem para o lançamento do filme.

Os produtores conceberam The Smurfs como uma trilogia e lançam o primeiro filme nos EUA em 17 de dezembro de 2010, com tecnologia 3D. No Brasil, a previsão é para 31 de dezembro de 2010.

(shirley paradizo)

Herói infernal vai retornar às telinhas

A série animada Spawn, baseada nos quadrinhos de mesmo nome, vai voltar a ser produzida em 2010, mais de dez anos após seu cancelamento. Todd McFarlane, o criador do personagem infernal, vem fazendo de tudo para expandir seus horizontes quando se trata de direção nos cinema e na televisão. Enquanto se concentra na sua próxima produção cinematográfica, uma versão sombria de O Mágico de Oz, McFarlane investe no roteiro da nova animação do herói. De acordo com o site americano da MTV, o soldado do inferno deve retornar às telinhas em 2010.

A primeira versão do animado foi ar em 1997 e chamou bastante atenção por seu tom pesado: sexo, violência, drogas, satanismo, bastante sangue... Com três temporadas (totalizando apenas 18 episódios), a animação é considerada por muitos como a melhor encarnação de Spawn. Para quem não conhece a história, Al Simmons era um agente da CIA que foi traído e morto por seus colegas. Após chegar no inferno, ele vende sua alma ao demônio Malebólgia e retorna à Terra anos depois para encontrar sua esposa casada com seu melhor amigo. Em seu novo corpo, ele ganha muitos poderes e se torna Spawn, dotado de diversos poderes e uma capa viva, ele se torna Spawn, um anti-herói que luta contra criaturas sobrenaturais e tenta se vingar dos responsáveis por sua morte.

Na série dos anos 90, os personagens contavam com vozes Mark Hammil (da primeira trilogia Guerra nas Estrelas), Michael Jai White (que interpretou Spawn nos cinemas), Clancy Brown (de No Limite e Desbravadores) e Bruce Boxleitner (mais conhecido pelo personagem John Sheridan, da série Babylon 5). Além do retorno da série, o escritor também está preparando o roteiro de um novo filme live-action baseado no personagem.

(shirley paradizo)

Da minha coleção...




Se você tem mais de 30 anos, deve se lembrar dessa fantástica animação brasileira produzida pela Start Anima, 1983, para um comercial de televisão. Ao som do sucesso do não menos brilhante compositor Toquinho, Aquarela da Faber-Castell é considerado até hoje um dos comerciais mais marcantes e inovadores da publicidade tupiniquim. Assista ao primoroso vídeo e confira você mesmo o motivo que a tornou tão comentada.

(shirley paradizo)

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Anime em versão live-action

O anime Paprika, de Satoshi Kon (de Tokyo Godfathers), pode ganhar uma versão em live-action. Segundo o site Moviehole, o diretor alemão Wolfgang Petersen estaria trabalhando em uma versão live-action do desenho. Porém, ainda não há um confirmação oficial sobre o projeto. tentando produzir o filme com elenco real, mas ainda não há mais informações sobre o projeto.

Petersen chamou atenção da crítica e público do mundo todo quando dirigiu O Barco e História Sem Fim. Seus trabalhos mais recentes são os longas hollywoodianos de grande orçamento Mar em Fúria (2000), Tróia (2004) e Poseidon (2006). Outro fato curioso é que o cieneasta não vai para atrás das câmeras há mais de 3 anos, quando lançou Poseidon.

O animado é ambientado em um futuro próximo, quando cientistas visionário criam uma máquina capaz de controlar os sonhos. Ainda em testa, o aparelho, que no começo é uma grande oportunidade para solucionar transtornos psiquiátricos, logo se transforma em um problema quando ao ser roubado. O invento nas mãos de terroristas e uma especialista é designada para recuperá-la (leia mais aqui). O filme saiu no Brasil direto em DVD.

(shirley paradizo)

A peixinha de Miyazaki

Foi divulgdo há algumas semanas um novo pôster do animado Ponyo (Ponyo on the Cliff by the Sea), com uma montagem belíssima com os personagens principais desse novo conto de fadas do diretor Hayao Miyazaki (de A Viagem de Chihiro e O Castelo Animado). Inspirado livremente no conto de fadas A Pequena Sereia, escrito originalmente por Hans Christian Andersen, o animado segue Ponyo, uma peixinha dourado que vive no fundo do mar com o pai e as irmãs.

Apesar de feliz, ela sempre teve muita curiosidade para saber como era o mundo fora dali. Um dia, pega carona em uma água-viva para subir à superfície. Chegando lá, é capturada por uma rede de pesca e se perde no meio da enorme quantidade de lixo boiando no mar. Para sua sorte, é resgatada por Sosuke, um menino de 5 anos que vive coma a família à beira-mar. Ele a leva para casa e promete cuidar dela para sempre. O amor e a amizade entre os dois é tão grande, que Ponyo resolve se tornar humana só para ficar mais tempo ao lado de seu novo amigo. Porém, o pai da peixinha está determinado a recuperar a filha.

Na versão americana, o animado conta um time de astros: Noah Cyrus, irmão mais novo de Miley Cyrus, Matt Damon (de Ultimato Bourne), Cate Blanchett (de O Curioso Caso de Benjamin Button), Frankie Jonas (da banda Jonas Brothers), Tina Fey (da série televisiva 30 Rock), Cloris Leachman (de Golpe Baixo), Liam Neeson (de As Crônicas de Nárnia), Lily Tomlin (de A Última Noite) e Betty White (de A Casa Caiu).

Ponyo tem lançamento previsto nas salas brasileiras apenas em 2010.

(shirley paradizo)

Princesa ganha bastidores

Por esses dias, o site Cartoon Brew publicou um clipe bem bacana dos bastidores de A Princesa e o Sapo. Em Conjuring the Villain (em tradução livre, Dando Vida ao Vilão), filmete de dois minutos, o animador Bruce Smith e o ator Keith David falam sobre o dr. Facilier, grande vilão do filme. Além de conhecer um pouco sobre o processo de criação do personagem (tanto na animação quanto na gravação da voz), você poderá conferir algumas cenas inéditas do filme.

Ambientado na lendária cidade de Nova Orleans, berço do jazz, o desenho gira em torno da princesa Tiana, uma jovem afro-americana que vive no encantador bairro francês ao lado de pais. De família pobre, a menina trabalha duro como garçonete para um dia abrir seu próprio restaurante.

Enquanto isso, o príncipe Naveen está chegando na cidade em busca de diversão. Devido a um feitiço, ele acaba se transformando em um sapo e encontra Tiana em um baile, achando que ela é um princesa de verdade. A partir daí, muita confusão acontece, com Tiana virando uma rã e os dois se embrenhando pelo pântano a fim de encontrar uma velha feiticeira para que tudo volte ao normal.

Baseado em uma história original escrita pelos aclamados cineastas John Musker e Ron Clements (de A Pequena Sereia, Aladdin e Hércules), que também assinam a direção do filme, o animado marca o retorno das produções Disney utilizando a técnica clássica de animação em tradicional, em 2D. O conto de fadas ainda apresenta a primeira princesa negra do estúdio. O vencedor do Oscar Randy Newman (de Toy Story, Vida de Inseto, Monstros S.A. e Carros) está a cargo da trilha sonora.

A Princesa e o Sapo será lançado nos cinemas nacionais em dezembro de 2009. Confira o vídeo abaixo.




(shirley paradizo)