quarta-feira, 1 de julho de 2009

Cinema: A Era do Gelo 3

Sem dúvida, A Era do Gelo 3 é o melhor filme da trilogia e, se você quiser aumentar ainda mais a diversão, assista na versão 3D! Scrat, o esquilo pré-histórico, está de volta e a perseguição pela sua preciosa noz continua. Mas nada será como antes, pois ele vai ter que disputar a tapas sua bolota fujona com uma fêmea, Scratita. Dividido entre a noz e sua paixão arrebatadora, Scrat vai entrar em enrascadas ainda maiores. O romance dos dois esquilos é um dos pontos altos do filme, as piadinhas visuais são divertidíssimas, sacanas e a trilha sonora que complementa esses momentos é espirituosa.

Como You'll Never Find Another Love Like Mine (na tradução literal, Você Nunca Vai Achar um Amor como o Meu), sussurrada no melhor estilo sedução à Barry White, ou um tango no qual entre um passo dramático e outro a noz é disputada por pernas e rabos. Enquanto isso, depois da fuga dos animais por causa do degelo em A Era do Gelo 2, a nova aventura, na verdade, traz em seu título original uma explicação do que se pode esperar: os temidos gigantes dinossauros.

O que antes era apenas um bando de mamíferos-amigos virou literalmente uma família que, como qualquer outra, tem conflitos e amor. Manny e Eli esperam seu primeiro filhote, o papai de primeira viagem é ansioso e super-protetor e, logo, entra em conflito com Diego, o dente-de-sabre, em crise de identidade por achar que está ficando molenga e acredita que a nova situação mudará tudo.

A saída de Diego, em busca de sua vida selvagem afeta Sid, a atrapalhada preguiça. Ao cair em uma caverna congelada, por acidente, o bicho-preguiça encontra três ovos gigantes e uma solução perfeita para sua solidão: formar sua própria família. Bem, a mãe dos pequenos dinossauros vem reclamar a guarda de seus filhotes e leva Sid junto.

Diante da nova situação, o bando esquece as diferenças e vai se aventurar para resgatar o amigo. Os dinossauros pareciam estar extintos, mas há um mundo subterrâneo onde eles vivem em uma imensa floresta tropical. Os cenários e a animação colorida, que desbanca todo o branco gelado tradicional dos dois filmes anteriores, é deslumbrante.

Mas não é só a fotografia que atrai. O roteiro de A Era do Gelo 3, que conta com a direção primorosa do brasileiro Carlos Saldanha, é complexo e o resultado, divertido, feito para agradar tanto aos pequenos quanto os crescidinhos, sejam eles pais ou não. Os efeitos especiais são caprichados, principalmente quando servem a uma boa história. Quem sai ganhando é o público e também o cinema, ainda mais em tempos que Hollywood anuncia uma refilmagem atrás da outra.

E a resposta do público, devidamente revertida em bilheteria, não deve ser menor do que das produções anteriores. A Era do Gelo mostra-se uma franquia muito lucrativa: o primeiro custou US$ 59 milhões e faturou US$ 383,2 milhões. Com o sucesso do anterior, o investimento no segundo subiu para US$ 80 milhões e a arrecadação da bilheteria correspondeu às expectativas, US$ 651,9. Já em A Era do Gelo 3 foram gastos US$ 90 milhões. Alguém arrisca um palpite?

Em cartaz: dia 01, quarta, nos cinemas nacionais nas versões 35mm (dublado e legendado) e 3D (somente dublado)

Classificação: livre

* texto de ana martinelli, publicado originalmente no site cineclick

3 comentários:

Gema disse...

Se for tão bom quanto os primeiros, vai ser muito divertido ;)
Bjs

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Vou dar um chute de faturamento, rs, algo como 800 milhões. Beijos

altieres bruno machado junior disse...

Olá Shirley

Gostei bastante do primeiro filme, já o segundo achei bem fraquinho. Ouvi algumas críticas negativas. Tinha até resolvido esperar sair o filme em DVD para conferir, mas os meus colegas que foram assistir muitos estão adorando. Agora não sei se vou no cinema ou espero sair em DVD...
PS: Agradeci e postei os selos que você me dedicou lá em meu Blog. mais uma vez, muito obrigado.

Abraços e até mais.