terça-feira, 29 de julho de 2008

Sucesso absoluto!

O animê Ponyo on the Cliff by the Sea, a nova produção dos estúdios Ghibli e dirigido por Hayao Miyazaki, teve uma ótima abertura no Japão. Segundo dados divulgados nos últimos dias, o animado faturou US$ 14,8 milhões no fim de semana de lançamento (o equivalente a 1,25 milhões de ingressos vendidos). É quase o valor que teve a estréia de A Viagem de Chihiro, que rendeu US$ 258 milhões na época de sua estréia na Terra do Sol Nascente.

Apesar do bom resultado, as reações do espectador ao filme têm sido adversas. Ponyo é
assumidamente mais infantil que os demais trabalhos do diretor, mas aparentemente até mesmo a garotada têm demonstrado pouca afeição à produção. Em recente entrevista, o próprio Miyazaki admitiu que está "desapontado por ter tentado fazer algo para crianças, mas que falhou em alcançar o alvo". Os números de bilheteria indicam, porém, que a animação atraiu casais e jovens (especialmente do sexo feminino).

Enquanto Ponyo não aterrissa por aqui, confira uma nova prévia do animado abaixo.

(shirley paradizo)

Animação olímpica

O canal britânico BBC começou a divulgar uma bela animação promocional em seu site tendo como tema os Jogos Olímpicos de Pequim. O curta animado é assinado por Jamie Hewlett e, segundo ele, "passou por muitas mudanças porque há muitos departamentos na BBC, e as Olímpiadas são o foco principal do canal este ano". A idéia de usar personagens chineses na animação era considerada avançada em termos de BBC, mas alguém lá entendeu a idéia e adotou o trabalho do diretor.

O vídeo e mais informações sobre o desenho podem ser conferidos no site da
BBC.

(shirley paradizo)

A nova Alice

Finalmente Tim Burton escolheu a protagonista da adaptação de sua Alice no País das Maravilhas, filme que produzido pela Disney com o início das filmagens prometida para o início de novembro. A protagonista será a jovem atriz australiana Mia Wasikowska, mais conecida pelo seriado da HBO Em Terapia e que em breve poderá ser vista na telas de cinema em duas produções, contracenando com Daniel Craig no drama de guerra Defiance (de Edward Zick) e na cinebiografia Amelia, estrelado por Hilary Swank e sobre a aviadora Amelia Earhart.

A intenção dos estúdios é revitalizar clássicos que já foram ao cinema em forma de animação e produzi-los com a técnica de captura de movimento ou mocap (como a que usanda recentemente em V
iagem ao Centro da Terra - O Filme e Beowulf). O roteiro inspirado na obra de Lewis Carroll está nas mãos da veterana Linda Woolverton (de A Bela e a Fera e O Rei Leão). Leia mais aqui.

(shirley paradizo)

Estante: A Princesa e a Ervilha

The Princess and the Pea · Dirigido por Mark Swan · Produção: EUA/Hungria, 2002 (75 min.) · Elenco (vozes): Ronan Vibert, Amanda Waving e Steven Webb

A maioria dos contos do dinamarquês Hans Christian Andersen foram parar na televisão ou no cinema, em séries animadas, filmes e longas de animação. De Patinho Feio e As Roupas Novas do Imperador a Pequena Sereia, as obras do escritor há séculos povoam a imaginação de crianças e, claro, adultos.

Em 2002, foi a vez de A Princesa e a Ervilha. Sua passagem pelos cinemas, porém, foi sem muito alarde. Agora o desenho ganha uma versão em DVD (Flashstar, R$ 29,90). Apesar de não conter extras significativos, o disco vale pela deliciosa fábula que acontece no Reino Corazion, um lugar cheio de vida e governado pelo bondoso rei Heath. Mas a paz está sendo ameaçada pelo invejoso Laird, que tenta de tudo para conquistar a coroa.

A saída é o irmão mais novo do príncipe, seu sucessor escolhido pelo rei, encontrar uma esposa e, assim, salvar o reino das mãos de Laird, que também é um pode ser um herdeiro do trono. Entre as nobres donzelas candidatas, surge Darla, uma camponesa que o faz pensar sobre o verdadeiro sentido da beleza e se realmente deve casar-se com a moça. Para ajudá-lo nessa escolha, um velho e sábio corvo chamado Sebastian decide convocar o poder da "ervilha", que irá dizer qual das moças realmente é digna de se tornar rainha e ser forte o bastante para combater, ao lado do príncipe, o maquiavélico Laird.

(shirley paradizo)

segunda-feira, 28 de julho de 2008

A final do Anima Mundi

A 16ª edição do festival de animação Anima Mundi terminou dia 27, domingo, em São Paulo, premiando o longa dinamarquês Princess, de Anders Morgenthaler. Os norte-americanos Idiots and Angles, de Bill Plympton, e Delgo, de Marc F. Adler e Jason Maurer, ficaram com o segundo e terceiro lugar, respectivamente.

Entre as animações infantis, a alemã Um Dia de Sol, de Gil Alkabetz, se destacou, ficando à frente de Seu Lobo, de Humberto Avelar, e Cucurujas, do húngaro Alexei Alexeev. Dossiê Rê Bordosa, de César Cabral, venceu na categoria Melhor Animação Brasileira, deixando para trás Seu Lobo e O Jumento Santo e a Cidade que se Acabou Antes de Começar, de William Paiva e Leo D. O trabalho de Cabral também foi escolhido o Melhor Curta-Metragem. Confira abaixo a lista dos vencedores. Mais informações no site oficial do evento.

Júri Popular
Melhor

Filme de Estudante
- Oktapodi, de Julien Bocabeille, François Xavier Chanioux, Olivier Delabarre, Thierry Marchand, Quentin Marmier, Emud Mokhberi (França)
- Blind Spot, de Johanna Bessiere, Cecile Dubois Herry, Simon Rouby, Nicolas Chauvelot, Olivier Clert, Yvon Jardel (França)
- La Queue de la Souris, de Benjamin Renner (França)

Melhor Longa-Metragem
- Princess, de Anders Morgenthaler (Dinamarca)
- Idiots and Angels, de Bill Plympton (Estados Unidos)
- Delgo, de Marc F. Adler & Jason Maurer (Estados Unidos)

Melhor Animação Infantil

- Um Dia de Sol, de Gil Alkabetz (Alemanha)

- Seu Lobo, de Humberto Avelar (Brasil)

- Cucurujas, de Alexei Alexeev (Hungria)

Melhor Animação Brasileira

- Dossiê Rê Bordosa, de César Cabral

- Seu Lobo, de Humberto Avelar

- O Jumento Santo e a Cidade que se Acabou Antes de Começar, de William Paiva e Leo D.


Melhor Curta-Metragem

- Dossiê Rê Bordosa, de César Cabral (Brasil)

- Isabelle Au Bois Dormant, de Claude Cloutier (Argentina)

- Oktapodi, de Julien Bocabeille, François Xavier Chanioux, Olivier Delabarre, Thierry Marchand, Quentin Marmier, Emud Mokhberi (França)


Prêmio dos Diretores de Anima Mundi

La Queue de la Souris
, de Benjamin Renner (França)


Prêmio Núcleo de Animação de Campinas - para a Melhor Animação de Estudante Brasileira

O Povo Atrás do Muro
, de Marconi Loures de Oliveira


(shirley paradizo)

Novo pôster de Astro Boy

O primeiro pôster teaser oficial do longa animado Astro Boy foi divulgado na convenção San Diego Comic-Con. O cartaz mostra apenas uma silhueta do personagem e não revela maiores detalhes do design - que, segundo o diretor, deverá ser fiel aos quadrinhos originais.

A animação é baseada no mangá criado por Osamu Tezuka. Ambientado na futurística Metro City, o filme é sobre um jovem robô com incríveis poderes criado por um brilhante cientista para substituir seu filho perdido. Não conseguindo superar as expectativas de seu pai, o herói embarca em uma jornada em busca de aceitação. Leia mais aqui.

Astro Boy
está previsto para estrear nos EUA em 2009.

(shirley paradizo)

Literatura: Para não dizer que não falei de coelhos

Os livros infantis e todos que tratam a literatura fantástica, pelo menos para mim, são muito próximos das animações - tanto que normalmente costumam ganhar versões cinematográficas animadas ou live-action. Por isso, decidi dedicar um espaço também para falarmos sobre os livros encantados. Como primeira texto, escolhi um da amiga jornalista Silvana Tavano.

O elegante Edward Tulane é um coelho amado e exageradamente mimado pela menina Abilene. Quase todo de porcelana (só suas orelhas e o rabo fofo são revestidos de pele de coelho de verdade), Edward, um dia, é obrigado a viajar e acaba sendo literalmente lançado ao mar, mergulhando na longa e difícil aventura do auto-conhecimento. A Extraordinária Jornada de Edward Tulane (Editora Martins Fontes) foi um dos livros que li por indicação da Paula, uma menina encantadora, estudante do colégio Santo Inácio, com quem fiquei conversando um tempão sobre livros certo dia na Livraria da Vila.

Não é difícil adivinhar o que vai acontecer e como termina a jornada heróica e transformadora do coelho de porcelana, mas o texto da americana Kate DiCamillo (traduzido por Luzia Aparecida dos Santos) é delicado, emociona na medida e dá o recado sem escorregar na pieguice. As lindas ilustrações de Bagram Ibatoulline seguem o mesmo tom. Fiquei com vontade de ler O Tigre, da mesma autora.

(silvana tavano)

* Esta indicação de livro da Silvana Tavano foi publicada em seu blog, Diários da Bicicleta, e ela me permitiu reproduzir aqui. Além do blog, a amiga e jornalista – que eu admiro muito – é editora da revista MARIE CLAIRE e autora de uma série de livros que contam as aventuras da bruxinha Creuza.

Semana dos Padrinhos Mágicos

A partir desta semana, Timmy e Os Padrinhos Mágicos protagonizam uma série de filmes no canal Nickelodeon. Como todos sabem, Timmy é um garoto de 10 anos que vivia à merce das maldades de sua babá quando seus pais não estavam em casa. Sua vida muda completamente quando ele ganha um casal de padrinhos mágicos para realizarem seus desejos. Cosmo e Wanda, porém, têm o péssimo hábito de complicar ainda mais a situação para lado o menino. Confira a programação:

Jimmy Neutron: Jimmy Timmy - o Confronto
(dia 28, segunda, 20h) - Timmy quer ter o laboratório mais legal do planeta e acaba sendo teletransportado para o secreto laboratório de Jimmy Neutron, interrompendo o upgrade que o menino gênio está realizando em seu cachorro robô Goddard. Por causa disso, acidentalmente um videogame é instalado no lugar da programação de cão.


Os Padrinhos Mágicos: Jimmy Timmy - O Confronto II (dia 29, terça, 20h) - Jimmy e Timmy estão brigando para ver quem levará Cindy ao baile de Sexta-Feira 13. O Professor Calamitous segue Jimmy até o universo dos padrinhos mágicos, onde ajuda seus amigos a escaparem da prisão (que não pode ser invadida por qualquer um do universo). Para impressionar Cindy, Timmy usa a arma de união de genes de AJ e acaba fundindo Jorgen von Strangle com Calamitous. Com os poderes de Jorgen a seu comando, Calamitous tem a chance de dominar o mundo e acabar de uma vez com Jimmy Neutron e Timmy Turner.

Os Padrinhos Mágicos: Jimmy Timmy - O Confronto III
(quarta, dia 30, 20h) - Timmy quer se tornar amigo de Jimmy Neutron, mas, quando estão juntos, eles lutam contra os inimigos de cada um. Nessa aventura, criam um novo vilão de quem não gostam. Após abandoná-lo, ele se torna um supervilão, prende Cosmo e Wanda e captura a inteligência de Jimmy. Agora é a vez de Jimmy e Timmy resolverem esse problema criado por eles mesmos.


Os Padrinhos Mágicos: Ídolo das Fadas
(dia 31, quarta, 20h) - Norm the Genie está de volta com um plano para se vingar de Timmy e tornar-se uma fada. Quando suas travessuras fazem Cosmo e Wanda o abandonarem, milhares de seres mágicos de todo o mundo das fadas chegam para competir num concurso por seus lugares. E, agora, quem será o Ídolo das Fadas?


Fairly Oddbaby
(dia 1º, sexta, 20h) - Cosmo e Wanda vão ter um bebê! Como tudo é incomum no mundo das fadas, é Cosmo quem está grávido! E, como qualquer outra gravidez, não é nada fácil... para começar, como as fadas são imortais, não precisam ter bebês, então um nascimento que não acontece há milhares de anos. O novo bebê entra em cena quando Timmy encontra uma brecha nas Regras e deseja que Cosmo e Wanda tenham um filho, já que a paternidade é um grande sonho do casal. Mas os vilões tentam roubar a magia do bebê para dominar o mundo. Agora cabe a Timmy (com a ajuda de Cosmo, Wanda, Jorgen, burritos poderosos e a própria magia descontrolada do bebê – que cria terremotos, climas extremos, monstros e todo tipo de caos) assegurarem que o primeiro bebê-fada em milhares de anos fique seguro e tranqüilo em sua nova casa com os pais.

(shirley paradizo)

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Mais uma da Comic-Con

Outra novidade da convenção San Diego Comic-Con foi a divulgação do pôster teaser da animação The Goon, baseado nos quadrinhos de mesmo nome da editora Dark House. O cartaz traz apenas uma arte conceitual, mas o trabalho já mostra que o filme promete ser bem fiel ao design original da HQ - tudo indica que a versão cinematográfica será em 3D e dirigida por David Fincher.

Criado por Eric Powell em 1999, os quadrinhos seguem as aventuras de um lutador musculoso que diz ser o braço direito de um temido criminoso. As histórias possuem um aspecto paranormal e cômico, envolvendo fantasmas, zumbis e cientistas loucos. A Dark Horse publica a série desde 2003.

(shirley paradizo)

Da minha coleção...

Feito em stop motion, A Grand Day Out (1989) é o primeiro curta protagonizado por Wallace e Gromit. Ele nasceu como um projeto de graduação de Nick Park e serviu-lhe como porta de entrada para a Aardman Studios e o mundo das animações nos cinemas. Nele, cão e dono - ou seria o contrário? - estão sem queijo e esta é uma boa desculpa para que a dupla animada faça uma viagem à Lua, onde, todos sabem, é um lugar repleto de queijo.

(shirley paradizo)

Batalha em 3D

A DreamWorks divulgou imagens de seu mais recente trabalho Monsters vs. Aliens, primeiro filme do estúdio produzido com a tecnologia 3D estereoscópico. O desenho é uma sátira às fitas de monstro dos anos 50 e traz grandes nomes no elenco, entre eles o ator Hugh Laurie, o genial Dr. House da série de TV. Ele empresta sua voz ao Dr. Cockroach Ph.D, a mente mais brilhante do mundo que faz experiência para combinar elementos da sobrevivência das baratas nos humanos. Mas acidentalmente ele se tornou literalmente um cara com cabeça de barata.

Destaque também para
Reese Witherspoon (de Johnny & June e Legalmente Loira) como a voz de Susan Murphy, uma jovem da California dos dias atuais que tem a má sorte de ser atingida por um meteoro no dia de seu casamento e se torna uma gigante de 14 metros e 29 centímetros. Capturada pelo exército, ela é chamada de Ginormica.
Entre monstros e humanos temos ainda bolha B.O.B (Seth Rogen), The Missing Link ou O Elo Perdido (Will Arnett), General W.R. Monger (Kiefer Sutherland) e o Presidente (Stephen Colbert). Monsters Vs Aliens estréia nos EUA em 27 de março de 2009.


(shirley paradizo)

Bolt na Comic-Con

O protagonista do novo filme da Disney Bolt: Supercão foi apresentado em forma de miniatura colecionável na San Diego Comic-Con - o maior evento de cultura pop dos EUA e no qual editoras de quadrinhos, fabricantes de brinquedos, estúdios de cinema e até de TV disputam atenção dos visitantes de todo o mundo.

Bolt
é um astro canino de um programa de TV no qual interpreta um super-herói. Sua rotina é cheia de aventuras, perigos e intrigas - mas só diante das câmeras. Um dia, ele é acidentalmente embarcado de Hollywood para Nova York, e aí começa sua maior aventura: atravessar o mundo real de volta para a Costa Oeste. O animado estréia em 26 de novembro nos cinemas americanos.

Confira abaixo a imagem do cãozinho colecionável e assista ao trailler do animado aqui.


(shirley paradizo)

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Astro Boy nas telonas

Depois de surpreender os fãs de animês com a notícia do filme Gatchman, o Imagi Animation Studios (de As Tartarugas Ninja: O Retorno) vai levar para os cinemas o clássico animado japonês Astro Boy. O desenho será produzido em computação gráfica e contará com grandes nomes da animação, como o diretor Colin Brady (de Toy Story 2 e Everyone’s Hero), o produtor Maryann Garger (de Pocahontas, Madagascar e Por Água abaixo) e o supervisor chefe de CG Yan Chen (de Planeta do Tesouro e Matrix Reloaded). "Realizar uma versão em filme animado por CG de Astro Boy é um sonho que se torna realidade para qualquer animador, e ainda mais para alguém como eu, que cresceu com Tezuka e Walt Disney", revela Chen, que foi recentemente contratado pelos estúdios Imagi para fazer parte da equipe do animado.

O elenco também não fica atrás. O estudio divulgou que Freddie Highmore, Nicolas Cage, Donald Sutherland, Nathan Lane, Bill Nighy and Eugene Levy vão emprestar suas vozes aos personagens.
Astro Boy é baseado no mangá criado por Osamu Tezuka, na década de 1950, e publicado na revista Shonen Magazine, de 1963 a 1968. Depois, virou um dos primeiros desenhos animados da TV japonesa, com 193 episódios em preto-e-branco exibidos no Japão de 1963 a 1966.

O menino-robô Atom que foi criado por um cientista depois da morte de seu filho em um acidente de carro. Astro Boy tem como fonte de energia um reator nuclear dentro de seu corpo (daí o nome original - Tetsuwan Atomu -, que significa "Poderoso Átomo") que lhe dá superpoderes. Porém, como o cientista percebe que seu filho não pode ser substituído por um robô, ele abandona Astro Boy.

Em sua jornada para ser aceito pelos humanos, o herói descobre a verdadeira amizade, além de seus incríveis poderes, usados para ajudar aos outros e defender sua Metro City da destruição total. Astro Boy está previsto para ser lançado em 2009.

(shirley paradizo)

Cinema: Macacos com humor

A piada começa logo na ficha técnica do filme: Space Chimps – Micos no Espaço (que estréia dia 25 nos cinemas brasileiros) é o trabalho de estréia do diretor Kirk De Micco. Juro! Fora do “eixo” dominado por Pixar e DreamWorks, o desenho animado é produzido pela Vanguard Animation (de Deu a Louca na Cinderela), pela Odyssey (de Valiant – Um Herói que Vale a Pena) e pela estreante Starz Animation. Com resultados bastante positivos.

Uma sonda espacial envia para a Terra sinais de que poderia haver vida inteligente num planeta muito distante. Como seria perigoso enviar astronautas humanos para investigar, o comando espacial terráqueo decide mandar para o espaço uma tripulação de chimpanzés. Porém, como a intenção do governo é muito mais publicitária que científica, escolhe-se como um dos membros da tripulação o falastrão Ham III, herdeiro direto do chimpanzé Ham, um pioneiro da conquista espacial, na época do antigo projeto Mercury. Ham III não entende nada de astronáutica e põe em risco toda a missão. Além do que os tais alienígenas distantes podem não ser nada amigáveis com os simpáticos macaquinhos.


Space Chimps – Micos no Espaço
tem vários elementos para agradar crianças, sem aborrecer os adultos. O ritmo cômico é dos mais satisfatórios, os personagens são carismáticos desde os primeiros momentos e os diálogos são afiados e espertos. Tecnicamente, deixa bastante a desejar no desenvolvimento dos personagens alienígenas, mas o traço seguro dos protagonistas garante a qualidade. Pequenas críticas políticas e algumas falas de duplo sentido também ajudarão a fazer a alegria dos papais e titios que levarem as crianças ao cinema. Estas, certamente, se prenderão mais à riqueza de cores e de movimentação.

Quem estiver de olhos e ouvidos bem abertos também poderá detectar rápidas referências aos filmes e seriados 2001 – Uma Odisséia no Espaço, Shrek, Perdidos no Espaço, Toy Story, Star Trek, Star Wars e Os Eleitos. A produção é de Barry Sonnenfeld, conhecido diretor de A Família Addams e Homens de Preto.


(celso sabadin)

* O querido amigo Celso Sabadin é autor do livro autor do livro Vocês Ainda Não Ouviram Nada – A Barulhenta História do Cinema Mudo e jornalista especializado em crítica cinematográfica desde 1980. Atualmente, dirige o Planeta Tela (um espaço cultural que promove cursos, palestras e mostras de cinema) e é crítico de cinema da TV Gazeta e da rádio Bandeirantes

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Criança & TV: Programa Legal

Até a alguns anos atrás, um dos maiores sonhos das crianças era terem à sua disposição um canal que exibisse, dia e noite, desenhos. A chegada da TV por assinatura realizou esse pedido, com uma grande oferta de canais que oferecem atrações para os pequenos. A diversificação da programação é enorme: animações contemporâneas e clássicas, séries em formato com atores, programas feitos e dedicados a crianças e adolescentes e os famosos animês – desenhos japoneses que viraram febre entre a garotada nos últimos anos.

Segundo pesquisa realizada recentemente pela NET, na maioria dos lares de hoje, o aparelho de televisão com TV a cabo faz parte da decoração do quarto dos pequenos, que assistem, livremente, aos canis infantis, sem muita interferência dos adultos, ocupados com o trabalho e os afazeres de casa. "Para os pais, a televisão é um lazer tanto para eles como para seus filhos, mas eles se preocupam, e muito, se os programas e os desenhos aos quais as crianças assistem são adequados para sua idade", diz Fernando Magalhães, diretor de programação da NET Brasil.

Uma perturbação até relevante, já que, de acordo com o Ibope, os jovens espectadores passam cerca de 3 horas de seu dia na frente da telinha.
Aos olhos dos adultos, a grande preocupação está nas séries animadas com maior incidência de lutas e violência, que, de acordo com os pais, podem tornar seus pimpolhos mais agressivos. "A crianças têm a necessidade de expressar uma série de sentimentos, inclusive a violência. E não existe pesquisa conclusiva e determinante que consiga afirmar, com todas as letras, a influência desses programas nas crianças", fala a psicanalista Ana Olmos.

Os desenhos com monstros e fantasmas também estão na mira dos adultos. "Crianças mais novas, entre 5 e 6 anos, têm dificuldades com o suspense, personagens que parecem realmente em perigo, rostos realistas com expressão de raiva, dor ou medo. Por isso, é preciso considerar esses elementos ao decidir o que disponibilizar para cada faixa etária", diz Gerard Jones, autor do livro Brincando de Matar Monstros, que fala da relação entre as diversões juvenis, como videogames e a TV, e o desenvolvimento emocional e intelectual das crianças.


Se elas insistirem em assistir a programas que os pais consideram impróprio para sua idade, a saída é a proibição ou mesmo o bloqueio do canal indesejado. "É importante, porém, explicar as razões da proibição e oferecer outras alternativas", fala Ana Olmos. E, aí, surge novo problema. Segundo pesquisa da NET, os pais não têm o costume nem paciência de conhecer os desenhos que acompanham o dia-a-dia de seus filhos para ajudá-los na escolha. "Se não conhecem, não faz sentido proibir. A regra de conhecer os amigos e o que estão acessando no computador, deve valer também ao que estão assistindo", diz Ana.

O primeiro passo para fazer essa é escolha é acompanhando, ao lado da criança, a atração e ficar de olho: "Os desenhos e os programas antes de mais nada devem divertir e não causar medo ou qualquer outro sentimento ruim. Não podem ser preconceituosos, ter personagens estereotipados, trazer conceitos errados, como, por exemplo, que tudo se resolve na força", diz Bia Rosemberg, diretora de programação da TV Cultura e autora do livro a TV que Seu Filho Vê (veja entrevista com Bia Rosemberg aqui).


* Texto de Shirley Paradizo, publicado originalmente na revista MONET, edição 40, jullho/2006

Anima Mundi em São Paulo

Maior festival de animação da América Latina, o Anima Mundi chega a São Paulo hoje, dia 23 (quarta) por apenas cinco dias. A programação é a mesma já apresentada no Rio de Janeiro, com 441 filmes de 42 países, mas exigirá muito fôlego, já que há muito de bom para se ver em pouco tempo. Neste ano, a maratona tem forte representação nacional, com 74 filmes de animadores brasileiros, incluindo os novos trabalhos de Alê Abreu, (de Garoto Cósmico), Allan Sieber (de Deus É Pai) e Carlos Eduardo Nogueira (de Yansan).

Entre os brasileiros, há também o inédito Belowars,
de Paulo Munhoz. Selecionado para o seleto grupo dos longas-metragens em competição, o novo trabalho do criador de Brichos é baseado no livro infanto-juvenil Guerra Dentro da Gente, de Paulo Leminski. Além de Munhoz, outros três longas disputam o principal prêmio do festiva, entre eles Princess (imagem acima), de Angers Morgenthaler, que foi aplaudido na Quinzena dos Criadores do último Festival de Cannes e vem chamando a atenção por onde passa. O filme dinamarquês conta a história de um padre que se vê obrigado a adotar sua sobrinha de cinco anos, que ficou órfã. Detalhe: a mãe da criança era uma atriz pornô.

Está também na disputa a superprodução épica Delgo, dos americanos Marc F. Adler e Jason Maurer, dublada por Val Kilmer, e Idiots and Angels, do veterano Bill Plympton, também dos EUA. Plympton, que já é figurinha tarimbada do evento, concorre com uma comédia de humor negro sobre um anjo relutante e traz mais dois curtas, Hot Dog e Bonnaroo Music Festival Trailer.

Na linha de frente dos curtas estrangeiros há ainda The Pearce Sisters, produzido pela Aardman e vencedor do Festival de Annecy em 2007, Como Montar um Home Theater, da Disney (veja imagem ao lado) e que marca a volta do Pateta à telona, a premiada animação em 3D francesa Blind Spot e a ousada La Svedese, do italiano Nicolas Liguori, que faz um retrato delirante do romance da atriz Ingrid Bergman com o diretor Roberto Rossellini.

Ainda pouco conhecida no Brasil, a animação argentina também ganha lugar de honra na 16ª edição do festival com a exibição de 12 filmes, um bom painel de sua mais nova geração. Entre os longas-metragens que merecem destaque está Martín Fierro, que mistura 2D com pintura a óleo para levar o poema gauchesco de José Hérnandez à tela.


Confira a programação e informações de serviço no site Anima Mundi 2008, que já disponiblizou os vencedores do evento no Rio de Janeiro.


Fonte:
site Globo.com

terça-feira, 22 de julho de 2008

Estante: O Castelo de Cagliostro

Rupan Sansei: Kariosutoro no Shiro (Japão, 1979) · Dirigido por Hayao Miyazaki · Duração: 102 min · Produção: Shichiro Kobayashi


Considerado como um dos grandes clássicos da animação japonesa, O Castelo de Cagliostro (R$ 27,90, Focus) foi o primeiro filme do mestre Hayao Miyazaki (de A Viagem de Chihiro e O Castelo Animado) feito para os cinemas – o animado, inclusive ganhou um elogio acolorado do cineasta Steven Spielberg, que declarou anos atrás que Cagliostro foi o desenho de aventura que ele sempre desejou produzir e nunca conseguiu.


E bota aventura nisso. Lupin III viaja pelo mundo para roubar preciosidades de toda espécie. Seu último grande roubo, porém, não sai como ele esperava. Depois de assaltar um cassino, ele descobre que o dinheiro é falso. Sem se abalar com o fato, ele logo muda de direção e sai em busca do cobiçado tesouro secreto do castelo que dá nome ao filme. Mas, no caminho, ele encontra Clarisse e descobre que a bela jovem está sendo obrigada a se casar com um duque malvado.

Ao lado de Jigen e do espadachim Goemon - e ocasionalmente da sensual espiã Fujiko, por quem o "herói" tem uma paixonite -, Lupin tenta resolver o mistério do castelo de Cagliostro, ao mesmo tempo em que arma planos para salvar Clarisse das garras do vilão e para se livrar da persiguição implacável do oficial da interpol Zenigata, obcecado em prender a trupe.

A história de Lupin III antecede Cagliostro. Antes de ganhar as telas de cinema, Lupin III protagonizava trambicagens em uma série animada dirigida pelo próprio Miyazaki. Com 15 capítulos no total, o desenho tinha uma premissa bem interessante. O jovem larápio era nada mais que neto do lendário ladrão Arsène Lupin, um personagem de romances policiais cômicos do fim do século 19, escritos pelo francês Maurice Leblanc e que decide seguir os passos do avô.

Lupin e seus amigos se envolvem em aventuras de dar inveja a Indiana Jones e perigosas "missões" de deixar James Bond de queixo caído. Depois que o desenho se encerrou, Myazaki tocou outros projetos até que resolveu resgatar Lupin e levá-lo para as telas de cinema. O resultado foi surpreendete e Castelo de Cagliostro superou o original tanto na apresentação do desenho como na trama. Não espere clichês ou obviedades, mas uma bela narrativa aventuresca, emocionante e com muita ação.

Extras: Entrevista com o diretor Hayao Miyazaki; Galeria de fotos; Storyboards

Indicação: a partir dos 10 anos

(shirley paradizo)

Ponyo vira livro

A pexinha japonea de Ponyo on the Cliff by the Sea continua rendendo bons frutos – e o desenho nem foi lançado ainda! O estúdio GhibliWorld, responsável pelo longa, publicou em seu site uma capa não definitiva do livro de arte do animê. A obra, prevista para ser lançada no Japão em agosto, tem esboços, storyboards, cenários e reproduções das células de animação do filme de Hayao Miyazaki.

Ponyo mostra a história de uma jovem peixe fêmea que, certo dia, fica preso em jarra de vidro e acaba sendo levado para a praia. Lá, é resgatada por um menino de 5 anos, que a salva da confusão. Confira o vídeo do desenho.


(shirley paradizo)

Simpsons de volta aos cinemas?

O criador de Os Simpsons, Matt Groening, parece que se entusiasmou com o sucesso do primeiro longa protagonizado pela família da pele amarela. Em entrevista ao site Daily News, ele declarou que deverá levar às telas grandes um novo animado estrelado por Homer e cia. “Vai acontecer em algum ponto, mas não tenho idéia de quando será. O primeiro nos tomou quatro anos para produzir - especialmente porque não gostamos de trabalhar mais do que nós geralmente trabalhamos”, conta.

Groening também aproveitou mostrar sua insatisfação com a onda atual de filmes de animação digital. “Os personagens em CGI têm olhos humanos. É por isso que eu gosto da animação 2-D que usamos. Nossos ilustradores desenham um círculo e colocam um ponto no meio. Agora isso sim é um olho animado!”


(shirley paradizo)

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Homem de Ferro ganha animação

A Marvel se prepara para lançar uma série animada baseada nos quadrinhos de Homem de Ferro. Chamada Iron Man: Armored Adventures (ex-The Animated Series) e produzida pelo estúdio francês Method Films, a série mostra o herói ainda na adolescência, com Tony Stark freqüentando até a escola.

O animado já tem 26 episódios encomendados e segue o mesmo estilo da finada série do Homem-Aranha da MTV, uma mistura de CG com traços à mão. O trailer vazou do animado, ainda sem previsão de estréia no Brasil, vazou na internet por uns dias, mas os responsáveis pelo desenho não perderam tempo e já retiraram o vídeo de circulação!

(shirley paradizo)

Você viu?

A grande novidade de UP, lançamento da Pixar de 2009, aparentemente passou despercebida nos últimos meses. Nos comentários em áudio do Blu-ray do animado Ratatouille, os produtores comentam que um personagem de UP faz uma aparição especial no filme. Trata-se do cachorro que persegue Remy quando ele está percorrendo os túneis e paredes e acaba chegando ao telhado com vista para Paris. O cãozinho não pode ser visto por completo, apenas sua silhueta é apresentada (veja a imagem abaixo e compare com o layout do cachorro de UP).

Up tem roteiro de Bob Peterson e é uma aventura cômica sobre um senhor de 78 anos que passou a vida sonhando em explorar o planeta. Mais velho agora, ele pensa que a vida o ignorou, mas consegue dar uma reviravolta em seu destino quando conhece um persistente explorador de 8 anos, que oleva a incríveis aventuras. O animado está previsto para estrear no Brasil em 26 de junho de 2009.


(shirley paradizo)

Mickey roubado

Roubos a museus estão virando mania não só no Brasil. De acordo com a agência de notícias Reuters, ladrões invadiram um museu próximo a Estocolmo durante a noite uma obra chamada Mickey Mouse, do artista Andy Warhol. No total, os larápios se apoderaram de cinco obras - duas litogravuras de Warhol e três de Roy Lichtenstein, com valores estimados entre US$ 500 mil e 670 mil.

Carina Aberg, do Museu Aberg, administrado por sua família, revelou que os ladrões permaneceram menos de dez minutos no museu. "Eles sabiam exatamente o que estavam fazendo. Já tinham estado aqui antes e planejado tudo." Ela informou ainda que os trabalhos de Warhol roubados são intitulados
Mickey Mouse e Superman, de uma série conhecida como Mitos. Já as de Lichtenstein são Crak, Sweet Dreams, Baby! e Dagwood.

(shirley paradizo)

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Da minha coleção...

Um curta antigo, mas cuja leitura continua atual. Meow (de 1981) leva a assinatura de Marcos Magalhães (um dos idealizadores do Festival Anima Mundi) e tem no currículo diversos prêmios, entre eles Prêmio Especial do Júri no Festival Internacional de Cannes 1982. Um gato esfomeado fica sem leite e é convencido a tomar um exótico refrigerante chamado "soda-cólica".

(shirley paradizo)

Alice contemporânea

O cineasta Tim Burton vai dirigir duas produções animadas para o estúdio do Mickey Mouse em 3D (para ser visto com aqueles óculos especiais). A primeira será uma nova versão do clássico Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, que já tem roteiro adaptado por Linda Woolverton, uma veterana das animações da Disney que já trabalhou em sucessos do estúdio como O Rei Leão e A Bela e a Fera. O animado empregará a mesma técnica usada em filmes como O Expresso Polar e A Lenda de Beowulf, mesclando ação live-action (com atores reais).

Na seqüência, ele vai se dedicar a Frankenweenie, longa-metragem baseado em seu curta gótico de 1984, sobre um menino que decide trazer seu cachorro de volta à vida no melhor estilo Frankenstein. Este irá usar uma técnica totalmente distinta - animação stop-motion (com massinha) e 3-D. A técnica foi recentemente explorada pelo diretor no bem-sucedido relançamento em Blu-Ray de O Estranho Mundo de Jack (ainda inédito no Brasil).

O cineasta declarou ainda que adoraria ver Johnny Deep - com quem já trabalhou em A Noiva-Cadáver, Edward Mão de Tesoura e A Fantástica Fábrica de Chocolate - na pele do gato Cheshire.

Como curiosidade, Burton começou a sua carreira na própria Disney e foi lá que desenvolveu o animado O Estranho Mundo de Jack. Boatos correm nos corredores de que ele teria sido demitido por gastar dinheiro demais da empresa em filmes considerados muito assustadores para ser visto em família. Afinal, o diretor é conhecido por levar às telas histórias com altas doses de humor negro, magia e bizarrices, abusando de cenários sombrios e góticos.

(shirley paradizo)

O retorno dos Jedis

Após um longo período divulgando apenas imagens e trailers enigmáticos, a Warner finalmente divulgou a sinopse de Star Wars: The Clone Wars, filme animado que irá se situar entre os longas Ataque dos Clones e A Vingança dos Sith. O filme ainda vai servir de introdução para uma série animada de TV de mesmo nome a ser exibida no canal Cartoon.

O diretor David Filoni adiantou também que pretende explorar diversas histórias paralelas dos personagens de Guerra nas Estrelas na telessérie. "Não estamos contando apenas a história de Anakin Skywalker", disse ao SCI FI Wire. "Se fizéssemos isso, estaríamos presos em um único arco. Com as Guerras Clônicas nós podemos ir para a esquerda e para a direita da trama e lidar com personagens que nunca apareceram antes. Dá pra esticar esse material."

Como as Guerras Clônicas duraram três anos dentro da mitologia de Star Wars, Filoni diz que tem bastante material. "O filme de Clone Wars serve para introduzir todo mundo ao universo que trabalharemos na série. E nesse período de três anos existem tantas histórias para contar que eu fiquei surpreso com a quantidade de coisas que ficaram de fora dessa primeira temporada. Para mim, quanto mais durar a série, mais chances de explorar histórias fascinantes naquela galáxia", conta, acrescentado que a primeira a ser explorada será a origem do mestre Yoda. Outras figuras famosas também ganharão destaque, além de diversos personagens inéditos. Ou seja, se depender da quantidade de material (e do dinheiro que George Lucas arrecadar), podemos esperar diversas temporadas na telina.

A galáxia é consumida pelas Guerras Clônicas, na qual os Separatistas e seu exército de andróides se lutam contra a República e seus protetores, os Jedis. Para ganhar uma vantagem no conflito, Anakin Skywalker e sua aprendiz Padawan Ahsoka Tano são enviados em uma missão que os coloca face a face com o notório lorde do crime Jabba, o Hutt. Para piorar, Anakin e Ahsoka são perseguidos pelo conde Dookan e seus sinistros asseclas - incluindo a misteriosa Asajj Ventress. Eles não vão parar até que os Jedis tenham sido derrotados. Enquanto isso, na frente de batalha, Obi-Wan Kenobi e mestre Yoda lideram as forças clônicas em um esforço para derrotar as forças do Lado Negro…

Star Wars: The Clone Wars chega aos cinemas brasileiros em 15 de agosto. Depois, a série estréia no Cartoon Network americano para uma temporada regular entre setembro e outubro. No Brasil, a data ainda não foi definida.


(shirley paradizo)

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Hulk encara heróis da Marvel

Pegando carona no longa O Incrível Hulk, a Marvel vai lançar dois novos médias metragens em DVD e Blu-ray protagonizado pelo verde esmeralda e outros dois super-heróis também da empresa. Previsto para chegar às prateleiras das lojas em 2009, Hulk vs. traz o gigante em batalhas, veja só!, com o Wolverine de X-Men e o Thor.

Hulk vs. Thor terá 45 minutos e explora como nunca os poderes do gigante verde. Com 33 minutos, Hulk vs. Wolverine será mais sombrio e violento, com o líder dos X-Men tentando impedir o Hulk em seu caminho de destruição através do Canadá. Confira o trailer dos animado Hulk vs. Wolverine...


... e, agora, as imagens:

(shirley paradizo)

Homenagem especial

Os canais Cartoon Network (de 18 a 20 de julho) e o Boomerang (dia 27 de julho) levam seus espectadores à Terra do Sol Nascente, com maratonas especiais para comemorar os 100 anos da imigração japonesa no Brasil.

Na martona Arigatô Cartoon Network, as meninas roqueiras de Hi Hi Puffy AmiYumi (imagem ao lado) e a número 3 de KND são as primeiras a prestarem sua homenagem ao centário. Em seguida, cada um à sua maneira, celebra a data. O Rodney, de Andy e seu Esquilo, solta a voz em uma aula sobre a antiga arte do karaokê. Dee Dee, de O Laboratório de Dexter, e Mandy, de As Terríveis Aventuras de Billy e Mandy, preferem usar as artes marciais para mostrar aos garotos o poder das meninas. E no filme Os Jovens Titãs: Missão Tóquio, os super-heróis adolescentes liderados por Robin viajam para o Japão, em busca do segredo por trás de um ninja hi-tech que quer destruir o quartel-general da equipe. Entre os outros desenhos participantes da maratona estão ainda Ben 10, A Vaca e o Frango e O Que Há de Novo Scooby Doo?

Já as escolhidas do Boomerang para a festa foram as Super Gatinhas, que estrelam um mini-maratona. Fashion e charmosas, as cinco têm como missão proteger a humanidade dos ameaçadores alienígenas, enquanto fazem o dever de casa, passeiam no shopping, lidam com as paixonites e outras coisinhas mais comuns a toda garota de 16 anos. O animado é inspirado em uma série quadrinhos homônimas de muito sucesso no Japão e no mundo.

Maratona As Super Gatinhas: dia 27, domingo, das 14h às 18h

Maratona Arigatô: dia 18, sexta, das 15h às 19h e das 20 às 22h; dia 19, sábado, das 18h às 20h, e dia 20, domingo, das 10h às 14h

(shirley paradizo)

Panda - parte 2

Já era de se esperar que o sucesso de Kung Fu Panda nas bilheterias mundias fosse render alguns frutos. A DreamWorks confirmou que está trabalhando na continuação do animado. Uma equipe começou a desenvolver o enredo para a seqüência, enquanto animadores estão criando a nova animação tradicional (2D) para o DVD do filme original. Vale lembrar que, segundo o chefão do estúdio, Jeffrey Katzenberg, podemos esperar até cinco novos filmes estrelados por Po e seus amigos.

Kung Fu Panda continua em cartaz nos cinemas brasileiros, com cópias dubladas e legendadas. Leia a crítica aqui e a entrevista com Lúcio Mauro Filho (que dubla a versão nacional do desenho) aqui.

(shirley paradizo)

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Os fantasmas do Natal

O astro Gary Oldman (de Batman: O Cavaleiro das Trevas e Harry Potter e a Ordem da Fênix) comentou que irá interpretar no mínimo três personagens na produção dos estúdios Disney para o Natal de 2009. Em A Christmas Carol (Um Conto de Natal, inspirado em obra do escritor Charles Dickens), ator poderá, então, será visto como Jacob Marley (falecido sócio do avarento Ebenezer Scrooge), Bob Cratchit (pobre secretário do protagonista) e Tim (um garoto com problema nas pernas e um dos quatro filhos de Cratchit).

Além de Oldman, o elenco vai contar ainda com Cary Elwes (de Jogos Mortais), Bob Hoskins (de Hollywoodland - Bastidores da Fama), Colin Firth (de O Diário de Bridget Jones) e Robin Wright Penn (de A Lenda de Beowulf). O ator Jim Carrey (veja o pôster) vai interpretar o protagonista, além de outros papeis coadjuvantes, como os fantasmas do Natal Presente, Passado e Futuro.

A animação em mocap ou motion capture (captura de movimento, como a usada em A Casa Monstro, O Expresso Polar e A Noiva Cadáver) está nas mãos do diretor Robert Zemeckis. Na trama, o velho e rabugento Ebenezer Scrooge, na noite da véspera de Natal, recebe em sua casa a visita de três fantasmas - Natal Passado, Natal Presente e Natal Futuro. O trio de assombrações tem como missão mostrar ao velhote como ele está desperdiçando sua vida, mas que ainda há tempo para mudar.

Vale lembrar que essa história já foi diversas vezes contada em filmes, desenhos e até em novelas. A própria Disney já adaptou a obra em 1983, em um curta-metragem de animação protagonizado por Mickey e seus amigos.

A Christmas Carol está previsto para estrear no Brasil em novembro de 2009.

(shirley paradizo)

Criança e TV: Propagandas proibidas!

Esses dias estava passeando por sites e blogs e, de link em link, acabei no O Globo Online, onde encontrei esse texto sobre novo projeto de lei que veta qualquer tipo de propaganda dirigida especificamente para as crianças. E já estava em tempo de uma atitude ser tomada em relação a isso. O que adianta colocar "censura" e "classificação indicava" nos programas da TV, estipulando horários e coisa e tal, e deixar que o publicidade correr solta na telinha. Bom tema para uma discussão!

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara aprovou, nesta quarta-feira, projeto que proíbe qualquer tipo de publicidade ou comunicação mercadológica dirigida especificamente para crianças, em qualquer horário. A deputada Maria do Carmo Lara (PT-MG), autora do projeto, disse que o objetivo é acabar com as propagandas destinadas às crianças, alegando que, na maioria das vezes, ela não distingue entre publicidade e o programa ao qual se está assistindo.

As restrições determinam que as publicidades devem ser dirigidas a adultos e não ao público infantil. Pelo texto, as crianças também não poderão mais atuar em propagandas, com exceção de campanhas de utilidade pública destinadas a educar as próprias crianças. Segundo o deputado Luiz Carlos Hauly, é considerada publicidade e comunicação mercadológica destinada a crianças aquelas caracterizadas por linguagem infantil, efeitos especiais e excessos de cores, ou que usem bonecos ou mesmo crianças como personagens ou apresentadores.

Além de proibir a publicidade infantil, o projeto impede a veiculação de qualquer tipo de propaganda durante programas infantis ou cuja audiência seja majoritariamente de crianças. "O assunto é polêmico. Mas sabemos que a criança brasileira fica na frente da televisão e que, até os 8 anos, ela não separa publicidade de programa. Isso tem muita influência na formação da criança. Todos os países já têm uma legislação", disse Maria do Carmo.

Inicialmente, a proposta era incluir só um dispositivo no Código do Consumidor. Mas a deputada resolveu propor uma lei. No caso da publicidade dirigida a adolescentes, a proposta fixa exigências, como "respeitar a ingenuidade do adolescente e não permitir que a influência do anúncio leve ao adolescente a constranger seus familiares".

Para quem descumprir, haverá multa, não inferir a mil Ufirs e não superior a 3 milhões de Ufirs (Unidade Fiscal de Referência), ou ainda uma contrapropaganda.

* Texto publicado originalmente em O Globo Online

terça-feira, 15 de julho de 2008

Estréia: Dinossauro Rei

E, finalmente, vamos poder acompanhar as incríveis aventuras de Max, Rex e Zoe em Dinossauro Rei (com pré-estréia dia 16, quarta, 16h, Jetix). Durante uma expedição na África, Max e seus amigos encontram estranhas tabuletas de pedra em formato de dinossauros, que emitem um chamado de socorro para as crianças. Os animais pré-históricos estão sendo caçados por um grupo de pessoas de uma misteriosa organização chamada Grupo Alfa. Sob a liderança do Dr. Z, esses vilões viajam no tempo com o intuito de controlar o mundo.

Os heróis, então, são transportados para diversas lugares do mundo para derrotar a gangue do Dr. Z e regastar os cartões de dinossauros que o grupo perdeu pelo caminho em suas andanças ao passado. Os cards têm o poder de trazer à vida os gigantescos bichos, que se enfrentam em batalhas horripilantes e inesquecíveis.

Dinossauro Rei é baseado em um jogo (card game) da Sega de grande sucesso no Japão. A primeira temporada possui 49 episódios.

Exibição: pré-estréia, dia 16, quarta, 16h; a partir do dia 21, segunda a sexta, 17h30, Jetix

Indicação: a partir dos 7 anos

(shirley paradizo)

Esculturas animadas

Para os amantes de animados, uma boa opção é a exposição Esculuras para Animações, promovida pela Melies Escola de Cinema 3D e Animação. Até o dia 27 de julho, domingo, em São Paulo, é possível conferir 14 esculturas em massa especial que servem de base para os mais diversos filmes e vídeos animados pelo sistema 3D.

A exposição conta ainda com a presença de escultores profissionais, que mostram, ao vivo, toda a arte e a técnica dessas peças especiais e criativas.

Local: Liceu de Artes Melies - Rua Capitão Cavalcante, n° 38, Vila Mariana, SP (a 100m da estação do metrô Vila Mariana)

Horário: das 10h30 às 16h, com entrada franca

Informações:
www.melies.com.br ou pelo tel. (11) 5573-1095

(shirley paradizo)

McFarland vai cair na rede

O gênio por trás de Uma Família da Pesada vai lançar uma nova animação, mas não na telinha. Seth McFarland (o criador da animação e que, recentemente, se tornou o produtor mais bem pago da TV americana) criou um desenho para ser exibido exclusivamente na web. A série Seth MacFarlane's Cavalcade of Cartoon Comedy irá ao ar, em setembro, no Adsende, do Google, que consegue hospedar vídeos em milhares de sites pela internet. Serão 50 vinhetas (episódios), com dois minutos de duração cada uma.

(shirley paradizo)

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Estante: Alvin e os Esquilos

Alvin and the Chipmunks (EUA, 2007) · Dirigido por Tim Hill · Duração: 91 minutos · Produção: Ross Bagdasarian Jr., Janice Karman e Steve Waterman · Música: Christopher Lennertz · Elenco: Jason Lee, David Cross, Cameron Richardson, Jane Lynch, Justin Long (voz), Matthew Gray Gubbler (voz), Jesse McCartney (voz), Veronica Alcinino e Kevin Symons

Um trio de roedores esquisitos e com voz engraçada faziam shows pelos Estados Unidos acompanhados de seu "pai". Criados pelo músico Ross Bagdasarian, eles eram os protagonistas do desenho Os Pestinhas e deixaram sua marca na década de 1960. O esperto Alvin, o inteligente Simon e o doce Theodore foram encontrados na cozinha de Dave Seville, que acabou "adotando" os três irmão.

O longa-metragem Alvin e os Esquilos (R$ 39,90, Fox) revisita esses personagens e mostra como os esquilos cantores saíram da floresta para colocar a vida do já atrapalhado Dave (Jason Lee, da série My Name is Earl) de cabeça para baixo. O publicitário há anos tenta, sem sucesso, vender uma de suas composições musicais e, quando começa a desisitir de seu sonho, ele encontra os roedores. A partir desse encontro, uma série de acontecimentos faz com que Dave repense seus valores, principalmente em relação à família e amizade.

Logo Dave descobre que os animais são capazes de cantar, dançar e encantar... Ou seja, uma mina de ouro. Mas, antes de colocar seus planos de fama e fortuna em ação, Dave terá que disputar os esquilos com um ambicioso empresário, dono de uma gravadora. Aos poucos, ele descobre que os pequenos bichos representam muito mais do que dinheiro. Os esquilinhos são sua família.

Como não podia ser diferente, filmes destinados ao público infantil sempre trazem mensagens de fundo que valorizam família, amizade e todas as coisas boas sobre as quais as crianças devem pensar. Sim, Alvin e os Esquilos é engraçado e capaz de divertir a garotada. Para os adultos, o grande atrativo, além da nostagia, fica por conta do alto nível de tecnologia usado na produção do filme, que combina animação e live action (atores de verdade) – como em Garfield 2.

Não por acaso, o longa leva a assinatura do mesmo diretor do filme protagonizado pelo gato persa laranja, Tim Hallen. E, como em seu trabalho anterior, os melhores momentos de Alvin surgem da interatividade entre humanos e personagens digitais.

Extras: A história dos esquilos; Um dínamo 3D; Os efeitos visuais; Acertando a harmonia; Alvin mania

Indicação: livre

(shirley paradizo)

Maratona de animações

Está aberta a nova temporada do maior festival de animação da América Latina, o Anima Mundi. Até do dia 20, domingo, a 16ª edição do evento fica em cartaz no Rio de Janeiro, desembarcado em São Paulo, entre os dias 23 e 27 de julho. Na programação, 441 filmes de 42 países, destinadas a adultos e crianças.

E este ano, a maratona terá forte representação nacional, com 74 filmes de animadores brasileiros, incluindo os novos trabalhos de Alê Abreu, (de Garoto Cósmico), Allan Sieber (de Deus É Pai) e Carlos Eduardo Nogueira (de Yansan).

O destaque vai para o inédito Belowars (imagem ao lado), que está no seleto grupo dos longas-metragens em competição. O novo trabalho de Paulo Munhoz (de Brichos) é baseado no livro infanto-juvenil Guerra dentro da Gente, de Paulo Leminski. O cineasta concorre com outros três animados de peso, o dinamarquês Princess, de Angers Morgenthaler, aplaudido na Quinzena dos Criadores do último Festival de Cannes; a superprodução épica Delgo, dos americanos Marc F. Adler e Jason Maurer, dublada por Val Kilmer; e Idiots and Angels, do veterano Bill Plympton, também dos EUA. Plympton, que já é um freqüentador assíduo do evento, concorre, além da comédia de humor negro sobre um anjo relutante, com dois curtas, Hot Dog e Bonaroo Music Festival Trailer.

Na categoria de curtas, estão ainda The Pearce Sisters, produzido pela Aardman e vencedor do Festival de Annecy em 2007; Como Montar um Home Theater (imagem ao lado), da Disney, que marca a volta de Pateta à telona; a premiada animação em 3D francesa Blind Spot; e a ousada La Svedese, do italiano Nicolas Liguori, que faz um retrato delirante do romance da atriz Ingrid Bergman com o diretor Roberto Rossellini.

Além de curtir as exibições, o público poderá conhecer de perto o animador James McCoy, uma das cabeças por trás da Blizzard Entertainment, considerada uma das maiores empresas de computação gráfica para videogames do mundo. O produtor Arnold Kunert também marca presença no evento para apresentar o trabalho em stop-motion do veterano Ray Harryhausen, criador dos esqueletos de Jasão e os Argonautas.

As sessões Papo Animado ainda terão presença do alemão Andréas Hykade, cineasta de Ring of Ice (de 2000), e professor da Harvard University, e do brasileiro radicado no Canadá Daniel Schorr, diretor de Jonas et Lisa (de 1995), e Snow Cat (de 1998).

Confira a os locais das exibições e a programação completa no site do Anima Mundi.

Fonte:
G1