sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Estréia: Transformers

Quando se avalia um filme como Transformers, há uma série de questões que devem ser levadas em consideração, principalmente a proposta de um filme como este. Além das pretensões monetárias, que permeia todos os blockbusters, Transformers também pretende explorar o lado "menino" de todo espectador, independente do gênero. Ou seja, os que gostam de carros que se transformam em robôs gigantes e destruidores, com certeza, se divertirão durante a sessão do longa-metragem.

Dirigido por Michael Bay (de A Ilha), Transformers traz de volta às telonas os robôs da popular linha de brinquedos e desenhos animados que povoaram a infância dos que a viveram nos anos 80. A história (se é que isso interessa) é desenvolvida em dois núcleos paralelamente. Primeiro, temos o exército norte-americano que, claro, precisa salvar o mundo da destruição provocada por uma luta que nós, terráqueos, não temos muito a ver. No antigo planeta de Cybertron, os nativos desenvolveram duas raças de robôs para servi-los: Autobots (operários) e Decepticons (militares).

No entanto, as criaturas, com inteligência própria, se revoltaram e iniciaram uma guerra. Enquanto os Autobots (o lado do bem da história, no caso) passaram a percorrer o universo em busca de novas fontes de energia, os Decepticons (os vilões) também querem esta fonte, mas na base da "porrada". Desta forma, esse embate entre os robôs pacíficos e militares vai parar no planeta Terra. Disfarçados em formas de automóveis, eles percorrem o mundo numa guerra que está prestes a explodir.

Neste panorama, entra Sam (Shia LaBeouf), um adolescente como outro qualquer que quer um carro para conseguir conquistar as garotas. Ele consegue um Chevrolet Camaro amarelo, que depois revela ser um Autobot. Assim, o jovem exerce papel fundamental na batalha.Com efeitos especiais impressionantes, especialmente nos momentos em que os personagens alienígenas passam por transmutações, Transformers é um grandioso filme de ação.

Definitivamente, o roteiro não é dos melhores; os personagens são rasos e construídos em cima de clichês - com exceção de Sam, que tem um humor bastante sagaz e afiado (o que não é muito difícil em meio a tantas explosões e diálogos vazios); a visão dos acontecimentos é maniqueísta e as atuações deixam a desejar. No entanto, não há como negar que a produção cumpre seu papel de proporcionar um entretenimento vazio e barulhento ao público que procura isso no cinema.

Transformers desperta o lado infantil do espectador, independente da idade. Afinal, qual menino nunca imaginou seus brinquedos Transformers destruindo cidades enquanto brincava? Bay realiza essas fantasias neste longa-metragem que custou nada menos do que US$ 147 milhões. O público mais novo também deve se divertir com a produção, capaz de reunir os elementos que compõem um eletrizante filme de ação, como boas cenas de perseguição e, o que mais interessa neste caso, caprichados efeitos especiais. Alguém esperava mais do que isso?

Estréia: dia 29, 22h, Telecine Premium

Indicação: a partir de 10 anos

(angélica bito)

* A amiga jornalista Angélica Bito - de quem aprecio muito o trabalho - escreve para o site CineClick (um endereço bacana que traz críticas e informações sobre o universo cinematográfico)

Um comentário:

Silvana Tavano disse...

oi Shirley, tudo bom?

Não consegui responder porque deletei o seu email sem querer!!! Escreva novamente, por favor.

E tem uma surpresinha pra você lá no Diários...

beijos!